sexta-feira, 19 de março de 2010

NO DIA MUNICIPAL DO RIO PARAÍBA DO SUL, TEM LANÇAMENTO DO PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL "CAMINHOS CIENTÍFICOS DO DELTA DO PARAÍBA"

AULAS DA NATUREZA NA NATUREZA
Foto: Lulu - técnico em meio ambiente da SEMASP - conta a história da formação do delta do Rio Paraíba do Sul à estudantes secundaristas na Ilha do Peçanha.
Foto: Andre Pinto - Assessor de Planejamento e Gestão Ambiental da SEMASP - conta aos estudantes da rede municipal de ensino a história dos estromatólitos carbonáticos de 4.000 anos de idade, encontrados na Lagoa do Salgado - Patrimônio Geopaleontológico da Humanidade , em São João da Barra - RJ.
Projeto ambiental “Caminhos Científicos do Delta do Rio Paraíba do Sul” será lançado na segunda, Dia Mundial das Águas, em SJB

A importância do Rio Paraíba do Sul no cenário nacional, sua formação geológica na Planície Goytacá, das matas ciliares, suas potencialidades, seus problemas relacionados à poluição e ocupações irregulares em áreas de preservação permanente, a racionalização das águas, suas ilhas fluviais, fauna terrestre e aquática como também a presença de naturalistas em São João da Barra, como o príncipe Maximiliano de Wied Newvied, Saint-Hilaire e o próprio imperador do Brasil, Dom Pedro II. Os assuntos dignos de serem abordados em aulas de história, geografia e meio ambiente serão abordados no projeto “Caminhos Científicos do Delta do Rio Paraíba do Sul”, que tem início na próxima segunda, dia 22, em São João da Barra.

O projeto, realizado pela equipe do Núcleo Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMASP), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, será lançado em uma data marcante: o Dia Mundial das Águas e Dia Municipal do Rio Paraíba do Sul, oficializado de acordo com a lei municipal 001/2005, de autoria da Prefeita Carla Maria Machado dos Santos.

O projeto prevê a colocação de placas de turismo científico e histórico em três pontos estratégicos de margens do Rio Paraíba do Sul e, também, a realização de atividades relacionadas ao plantio de mata ciliar feitas em parceria com as escolas municipais em alguns trechos, além da elaboração de uma cartilha sobre mata ciliar e outras informações (que está em andamento) com temas sobre a preservação dos rios, córregos, canais, lagoas e praias, significado em tupi guarani, de alguns dos atrativos locais (Grussaí, Iquipari, Açu, Taí, Caroara, Caetá, e outras, que serão distribuídas aos estudantes). As próximas viagens ainda estão sendo agendadas.

Os passeios educativos serão realizados a cada 15 dias. O horário de saída será sempre é às 8h10, do Cais do Imperador, no Centro da cidade. O trajeto vai até às praias fluviais do Viana. Segundo André Pinto, um dos coordenadores do projeto, haverá uma aula e um plantio de mata ciliar, além de colocação de placas de interesses científicos e históricos no local.

— Um dos intuitos é buscar sempre resgatar a memória histórica dos vultos sanjonenses e das pessoas importantes de fora que estiveram no município. Vamos ter uma salada de conhecimento, juntando a parte ambiental com a histórica, tirando a questão ambiental apenas da teoria. Teremos a parte prática também. Já nesta segunda vamos começar com plantio na margem direita do rio, nas areias do Viana. Temos alguns contatos com produtores rurais e o primeiro local visitado será parte da terra do produtor Getúlio Alvarenga, presidente do Sindicato Rural da cidade. Lá, vamos mostrar a erosão e explicar a importância da mata ciliar — explica André Pinto.

É também na propriedade de Getúlio Alvarenga que será colocada a primeira placa de interesse histórico e científico, porque foi por lá que esteve o príncipe Maximiliano de Wied Newvied, que visitou o município em 1815. Serão, aproximadamente, 70 viagens durante todo o ano, com saídas quinzenais, durante o período de aulas, sempre em dias úteis. A previsão é atender cerca de 2.100 estudantes e 350 professores, das escolas do município.

— Trata-se de uma verdadeira aula fora das quatro paredes. As escolas do município estão trabalhando, nesse primeiro bimestre, questões afrobrasileiras, e vamos ter uma surpresa em relação ao tema. Vamos começar com 30 alunos e mais cinco pessoas da escola (professor, diretor e pessoal de apoio), da Escola Municipal Domingos Fernandes da Costa. O projeto é realizado no molde de trabalhos como o Caminhos Geológicos, que já existe em São João da Barra, há quatro anos, mais ou menos, do Departamento de Recursos de Recursos Minerais (DRM), que evidencia o Delta do Paraíba, e também o Caminhos de Darwin, que não temos por aqui, mas nos serve de exemplo — acrescenta.

O projeto “Caminhos Científicos do Delta do Rio Paraíba do Sul” é destinado apenas à rede publica municipal de ensino de São João da Barra. Já outras escolas, de outras cidades, podem participar do passeio pedagógico oferecido pelo Projeto Barca da Ciência, do Espaço da Ciência Maria de Lourdes Coelho da Anunciação em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente. No passeio de escuna, todos os domingos, a partir das 9h, com saída do Cais do Imperador, é possível conhecer a importância dos recursos hídricos, com uma aula de história e educação num passeio agradável pelo Rio Paraíba do Sul, até sua foz, com parada na Ilha da Convivência. Para participar, é necessário ir ao Espaço da Ciência e se inscrever no cadastro. Ou então, agendar pelo telefone (22) 99031176.

2 comentários:

Jaque disse...

Oi André
Fiquei encantada com o Projeto de vcs! As aulas "in loco" `são muito proveitosas e atraentes p os alunos, temos q trazer vida às aulas, não é mesmo?
Adorei tbm a idéia da cartilha, quando ficar pronta, gostaria muito de poder vê-la.
Parabéns pelo trabalho, vc mesmo estando longe, me dá forças p continuar c entusiasmo p aqui tbm.
Um abraço forte
Jaq

Roberto Moraes disse...

OLá André,

Bacana ver você e Lulu, nossos ex-alunos desenvolvendo este belo trabalho de Educação Ambiental.

Sucesso!
Abs.
Roberto Moraes