sábado, 31 de janeiro de 2009

SONHO DE UM TÉCNICO EM TURISMO EM SÃO JOÃO DA BARRA II

Foto: Mirante de Joinville - SC , um modelo que pode ser seguido em São João da Barra.
Quem leu a matéria veiculada neste blog intitulada "Sonho de um Técnico em Turismo em São João da Barra" nas publicações anteriores pode entender que a instalação de um mirante turístico em nosso município pode trazer um grande difrencial em relação aos equipamentos turísticos existentes em outras regiões.
Com a demolição em definitivo da antiga caixa d`água da CEDAE (um legítimo castelo D`água), na beira do porto em São João da Barra, fico a pensar como seria interessante a municipalidade instalar um mirante no Novo Balneário de Atafona, através de empresa especializada nestes equipamentos.
No caso do mirante de Joinville - SC "o Mirante é uma atração imperdível, sua subida em escada caracol exige coragem, mas ao chegar ao topo o visitante tem duas belas visões: a cidade de Joinville e a bela Baia da Babitonga. Vale a pena conferir"
Já pensou esses equipamentos turísticos proporcionando em cada atrativo uma visão das lagoas de Grussaí e Iquipari, do Delta e da praia de Atafona, do Açu e Chapeú do Sol?

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

TILÁPIA MOTO CLUBE PROMOVE CONFRATERNIZAÇÃO NESTE SÁBADO

Foto : Blitzen educativa em São João da Barra - RJ (Atafona)
Foto: Animada e competente família Tilápia Moto Clube em festa!.
O TILÁPIA MOTO CLUBE, uma Associação de amigos motociclistas do mais alto brilho, que tem demonstrado o seu valor em pouco tempo de existência na terra de Narcisa Amália, promove amanhã, sábado 31/01/09 um "churrasco amigo" nas dependências do belíssimo Camping do Novo Balneário de Atafona, na Av. Atlântica s/n.º, a partir das 10 horas da manhã e que pretende ir até às 16 horas, momento em que haverá um show pra lá de bom!
Os membros do Tilápia Moto Clube têm demonstrado relevantes serviços ao povo sanjoanense, principalmente aos "seres de alma boa - motorizados" denominados motociclistas e até os rústicos, insensíveis e abrutalhados "motoqueiros". Com o desenvolvimento de projetos voltados à saúde, prevenção de acidentes, blitzens educacionais, distribuição de brindes e cartilhas conscientes este grupo, que tende a aumentar, nos cativou muito pela importância de seu trabalho.
Em conversa com os colegas do Tilápia Moto Clube hoje de manhã, ficou uma idéia de programarmos um plantio de árvores nativas na cidade bem como fazer uma ação de repeixamento do rio Paraíba do Sul com a soltura de alevinos a serem adquiridos nas propriedades que tiveram seus açudes alagados por riachos que se encheram com as chuvas de dezembro de 2008 e janeiro deste ano.
Vale lembrar que o churrasco dos amigos será participativo, o que significa dizer que cada um pode contribuir com um patrocínio "in natura" ou fazendo a famosa "vaquinha" para no final todos curtirem com fartura o evento!
Parabéns a todos do Tilápia Moto Clube!
Obs. Só não pode botar na grelha do churrasco a tilápia, senão perde a magia!

FÓRUM SOCIAL MUNDIAL EXPANDIDO É ABERTO EM ATAFONA

Aconteceu ontem, 29/01/09, às 19 h e 30 mim a abertura do Fórum Social Mundial - Expandido em Atafona, no Espaço da Ciência Maria de Lourdes Coelho Anunciação. Sob a organização do CNFCN, Centro Norte Fluminense para Conservação da Natureza, foram apresentadas tenda de artesanato, tenda do Arte Peixe, tenda do feijão amigo com caldos diversos, o filme "Ruínas de Atafona" e debates e mesas-redondas sobre a questão da crise econômica mundial, seus impactos face a agenda ambiental, o aquecimento global e suas interferências na questão regional e local.
A abertura do evento ficou a cargo de Agusto Soffiati e Hélio Coelho Filho, conhecido como Professor Helinho. Os palestrantes convidados a puxarem os temas para debate foram Professor Glauco, da UENF e o Professor de gestão ambiental do CNC- Cursos e membro da ONG COCIDAMA, Andre Pinto.
A discussão passou da ordem econômica e social mundial, dos efeitos da globalização, aos problemas de agenda ambiental futuros, implementação do complexo portuário do Açu e outros mega empreendimentos e seus impactos econômicos, sociais e ambientais. O macro zoneamento de São João da Barra (ambiental, expansão industrial, expansão de agronegócios etc) também foi debatido.
André Pinto, palestrante convidado do Fórum, na abertura de sua fala dissertou da tríade de efemérides sanjanjoanense, exaltando os nomes de três cientistas, da terra de Narcisa Amália, que jamais devem ser esquecidos : Silva Coutinho - primeiro cientista a explorar a Amazônia e que recebeu a medalha Ordem da Rosa, Domingos Fernandes da Costa - Cientista astronomo a acompanhar a expedição de Eistein ao nordeste e Luiz de Castro Faria - O maior antropólogo brasileiro que fez junto com Claude Lévi-strauss a última expedição de etnografia do Século XX na Serra do Norte, entre Cuibá e Porto Velho, que recebeu a medalha Grã-Cruz científica.
O evento ocorreu simultaneamente ao Forum Social Mundial que está sendo realizado em Belém.
Parabéns aos Soffiati, ao amigo Baldan, ao Helinho, e todos os associados do CNFCN.
O Evento continua hoje a partir das 16 horas com debate sobre o rio Paraíba do Sul. A entrada é gratuita, participe!
Dica: Saboreie no local do evento os produtos da arte peixe como kibe de peixes, hamburguer de peixe, bolinho de peixe e risole de camarão. Simplesmente maravilhoso!!!

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

FÓRUM SOCIAL DO NORTE FLUMINENSE COMEÇA HOJE EM ATAFONA

Começa hoje a partir nas 16 horas, o Fórum Social do Norte Fluminense, promovido pelo CNFCN, no Espaço da Ciência Maria de Lourdes Coelho Anunciação. Com duração de 04 dias, sempre de 16 às 22 horas, o Fórum debaterá temas globais, regionais e locais votados à ecologia, desenvolvimento , sustentabilidade, economia solidária e outros temas afins.
Compareça e dê sua contribuição ao exercício do debate democrático!!!

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

ESPETACULAR A NOITE EM HOMENAGEM AO PONTAL DE ATAFONA

Se tem uma palavra que caiba bem ao acontecimento desta noite, uma quarta-feira estrelada, 28/01/09, soprada ao vento nordeste, no Espaço da Ciência Maria de Lourdes Coelho Anunciação, esta palavra siginifica ESPETACULAR!
Estive esta noite, no encontro da velha guarda que rememorizou de forma brilhante as histórias e lendas do energético Pontal de Atafona e sua gente inesquecível. Bela exposição de quadros, recortes de jornais locais e nacionais, imagens jamais vistas do avanço do mar, livros de autores da região, artesanato retratando imagens sacras de forma ecologicamente correta, muitas barraquinhas com guloseimas variadas, dando destaque ao caldo de cana e pastéis de vários sabores.
A decoração temática do local mostrou um ambiente repleto de redes, puçás, canoas, galhardetes com os nomes dos bares de outrora como o "Bar Esperança", "Bar do Elvis Presley", "Sirilândia" além das mesas espalhadas ao ar livre, lembrando como era o Pontal nas palafitas do "Espanhol" e outros botecos praianos.
O Grupo musical do conhecido "Gambarzinho" deu um verdadeiro show na intepretação de músicas regionais que retratam o pontal de Atafona. Uma seresta ao ar livre. Destaque para o saudoso compositor Jacques Azevedo, carnavalesco que foi muito amigo de meu pai, João Oscar e brincaram juntos nas críticas carnavalescas. Suas músicas foram lembradas pelo grupo musical, destacando-se linda Música de Jacques Azevedo sobre o pontal, que poderia ser tombada como patrimônio imaterial e virar um hino da praia sanjoanense daquele balneário!
O depoimento de Jorginho "Elvis Presley", que também compôs a mesa, foi emocionante. As poesias lidas por Suely e Nilse Lobato deram mais brilho e emoção ao encontro. A Heloísa, expositora do evento, também levou o público ao delírio com o seu estilo marcante de se fazer poesia.
O Professor Fernando Antônio Lobato, o colunista social Wilson de Oliveira, O Secretário Municipal de Pesca Eleilton Meireles (nascido na Ilha da Convivência) e o diretor do Espaço da Ciência, Dr. Plínio Berto conduziram com maestria o encontrão Pontalense! Muitos "causos" e curiosidades foram contados, até a de um pescador que estava presente com uma foto de um peixe de 11 metros de comprimento, que pela retirada do fígado do mesmo rendeu um barril de 700 litros de óleo de fígado. Outra estória foi o salvamento, por um pescador, de tripulantes de um helicóptero que caiu em alto mar, etc.
O ambientalista, técnico em meio ambiente, surfista do Pontal de Atafona por longos anos ,Luiz Henrique "Lulu", também deu seu depoimento aos presentes, relembrando nomes que foram temporariamente apagados pelas ondas espumantes nas areias da praia de Atafona. Lulu saiu do saudosismo melancólico e partiu para a memorização alegre e dinâmica do povo pontalense! Assim que deve ser!
O Grupo de Jongo vindo da cidade vizinha de Campos dos Goytacazes também foi excepcional. Com participantes dos oito anos aos quase oitenta, eles cativaram o público com cantigas regionais que remontam o tempo da escravatura, em grito de liberdade.
Valeu a pena estar lá!
Parabéns à Prefeita Carla Machado, toda equipe do Espaço da Ciência, aos expositores, aos participantes e àqueles que fizeram do Pontal de Atafona essa lenda viva de hoje!
Só senti falta de não terem falado das aparições dos ovnis no Pontal, mas isso fica para outro encontro, né?
Fica aqui o meu grande abraço e admiração ao Dr. Plínio Berto, advogado, professor, ambientalista, poeta de grande brilho, que deve estar radiante com todo o sucesso do evento! você merece!
------------------------------------------------------------------
CONHEÇA O PONTAL DE ATAFONA
Conheça todos os mistérios do Pontal de Atafona:
Sinta o vento nordeste beijar-lhe por inteiro; Venha conferir o fenômeno de avanço do mar; ouvir histórias da visita de Chico Xavier em 1967; histórias da aparição de discos voadores em 1977; a energia das areias monazíticas; caminhe na passarela do mangue; a história do francês na ilha do Lima; a Ilha da Convivência (onde moram os Muxuangos, habitantes caiçaras únicos no Brasil, descendentes de piratas holandeses); ouça as histórias dos pescadores; a lenda da Capela de Nsa. dos Navegantes e do Mangue da Moça Bonita; histórias e tesouros da navegação; histórias sobre os homens das máscaras de chumbo que explodiram dinamites na foz do Paraíba por causa de experiências extraterrestres; local das filmagens de Norma Benguel e Antônio Pitanga em “A garganta do mundo”, Sônia Braga em “Gabriela , Cravo e Canela”, "Ruinas de Atafona" de Frederico Alvim e "Atafona Por que?" de Gilberto Pessanha e Freire. Venha saborear o famoso “mulato velho”, culinária típica do local. Não basta ver, é preciso sentir...

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

PROGRAMAÇÃO DE LIMPEZA URBANA EM SÃO JOÃO DA BARRA

LIXO DOMICILIAR: Recolhido diariamente à partir das 18:00 hs em todos os setores. RETIRADA DE ENTULHOS E GALHADAS (SJB-SEDE): 2ª FEIRA - Centro 3ª FEIRA - Centro e pedregal 4ª FEIRA - Chatuba 5ª FEIRA - Nova São João da Barra 6ª FEIRA - Centro Sábado - Centro Antes de jogar seu entulho ou galhada na rua, ligue para UNIÃO NORTE FLUMINENSE no telefone (22) 2741-1511.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

DESABAFO DE UM MORADOR EM GRUSSAÍ

O Blog de Roberto Moraes traz relato de morador de Grussaí que tem sofrido muito com os alagamentos na localidade denominada loteamento Lira Mar de Grussaí. Veja aqui na íntegra.

DESRESPEITO AO MEIO AMBIENTE

O radialista Paulo Noel, em seu blog denuncia a ação de pessoas sem consciência ambiental e sem educação quanto à colocação de lixo em áreas naturais. Veja este crime ambiental. VAMOS MANTER NOSSA CIDADE LIMPA!

sábado, 24 de janeiro de 2009

O MUNDO SEGUNDO A MONSANTO - VOCÊ PRECISA LER

"O mundo segundo a Monsanto" é o livro de Marie-Monique Robin, recentemente lançado no Brasil pela Editora Radical Livros, São Paulo. O livro tem tido uma impressionante repercussão internacional. Ivo Lesbaupin doutor em Sociologia pela Université de Toulouse-Le-Mirail, na França e, atualmente, professor na Universidade Federal do Rio de Janeiro. (UFRJ), comenta o livro em artigo que publicado, originalmente, na página http://www.iserassessoria.org.br/ ---------------------------------------------------------------------------- Pessoal, é inacreditável o que a Monsanto é capaz de fazer com a comunidade científica sobre os estudos e verdades dos produtos transgênicos. Domínio de mercado, perseguição à cientistas, fórmulas mirabolantes para rotulagem de produtos, etc. Seja você o advogado do diabo para desvendar os mistérios relatados neste livro. Eu vou ler!

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO COMPARTILHADA DOS AQUÍFEROS DOS MUNICÍPIOS DE CAMPOS DOS GOYTACAZES E SÃO JOÃO DA BARRA, RJ

Vejam abaixo a contribuição dada pelo Geólogo Egmont Capucci ao Blog de Andre Pinto quanto à informações de nossas águas subterrâneas.
A importancia da gestão compartilhada dos aquíferos dos Municípos de Campos dos Goytacazes e São João da Barra, RJ. 1-Introdução: Face às evidentes vantagens econômicas que a alternativa de aproveitamento do manancial subterrâneo apresenta na solução de abastecimento a diversas comunidades interioranas, a CEDAE, e mais recentemente a Concessionária ÁGUAS DO PARAÍBA, vem desenvolvendo atividades no campo da construção de poços profundos, cuja execução segue orientação técnica aprimorada. Neste particular, os melhores resultados obtidos nestes últimos 20 anos de pesquisa localizam-se em terrenos geologicamente constituídos por rochas sedimentares, existentes nos Municípios de Campos e São João da Barra. Assim, devido as profundas falhas tectônicas que ocorrem nestes Municípios, os sedimentos foram depositados na baixada campista em presença de fortes gradientes hidráulicos pelo Rio Paraíba do Sul e seus afluentes, resultando em elevadas espessuras e permeabilidades, formando aquíferos livres na Região Metropolitana de Campos a aquíferos confinados, na medida que se aproxima da costa. Segundo dados CEDAE de 2003, na bacia de Campos 131.515 consumidores são atendidos por poços, produzindo 35.740 m³/dia.

Desenho 1- mapa de cidades abastecidas por poços na bacia de Campos. O objetivo deste informe é demonstrar de forma simplificada, apoiado em informações conhecidas, o extraordinário potencial destes aquíferos, justificando a proposição de um sistema de monitoramento que inclua todos os poços que exploram estes aquíferos.

A coleta de dados operacionais dos poços existentes possibilitará um conhecimento preliminar das características hidrodinâmicas e qualitativas dos referidos aquíferos, de modo que possa embasar a construção de um modelo que sirva como ferramenta gerencial para sua futura preservação e exploração racional. 2-O Aquífero de Campos: O aqüífero de Campos é formado por aluviões muito permeáveis, depositados em antigas calhas do Rio Paraíba do Sul, com espessuras 50 a 100 metros. Estendendo-se por toda a Região Metropolitana de Campos, este reservatório natural desponta como importante aquífero, justamente por se situar sobre regiões densamente povoadas, com captações junto aos pontos de consumo.
Desta forma, vendo facilidades econômicas, a Concessionária Águas do Paraíba construiu 2 poços respectivamente no Bairro do Beco e no Distrito de Donana, possibilitando abastecimento da R.M. de Campos e dos Distritos de Donana, Goytacazes e Tocos, atendendo um contingente de 51.500 consumidores, obtendo-se vazões operacionais consideradas inéditas para o Estado do Rio, com produção de 90 a 340 m³/hora.

Foto 1- Bombeamento do Poço de Donana, com vazão operacional de 360.000 litros /hora Na época do derrame de soda cáustica no Rio Pomba, visando atendimento emergencial da cidade de Campos, esta Concessionária construiu na Usina do Queimado 2 poços com vazão operacional de 180 m³/hora/poço, que atingiram o cristalino com 50 metros de profundidade, obtendo-se vazões especificas de 12 m³/h/m., necessitando tratamento apenas para ferro.

Foto 2- Bombeamento do Poço 2 da Usina de Queimado, na cidade de Campos, com vazão operacional de 180 m³/h. A medida que os aluviões vão se espessando em direção a Donana, onde alcança a espessura de 100 metros, obteve-se no poço construído neste Distrito vazões específicas de 36m³/h/m, valores estes considerados inéditos, mesmo em relação a outros aquíferos brasileiros. A interpretação dos resultados dos testes de bombeamento dos poços e piezômetros construídos em Queimado e Donana, concluiu que a elevada transmissividade do aqüífero resulta em singelos cones de rebaixamento, permitindo construção de baterias de poços relativamente próximos entre si.

Por outro lado, o elevado gradiente hidráulico do aqüífero em direção ao mar, com cerca de 6%, facilita sua recarga e seu escoamento em direção ao oceano.
Considerando que as aluviões situam-se cerca de 12 metros acima do nível do mar, e, como existe apenas um exutório –ou porta de saída- de água doce em direção a costa, é provável que os aquíferos, livres e confinados, estejam interconectados, daí a justificativa de se iniciar um monitoramento global de todos os poços.
Um dos primeiros benefícios que um sistema de monitoramento dos referidos poços poderia produzir seria assegurar que a ampliação do abastecimento da própria Cidade de Campos seja feita de forma gradual, a custos sensivelmente menores que captação de superfície, reduzindo assim sua dependência exclusiva do Rio Paraíba do Sul e de seus afluentes Pomba e Muriaé.
3-Os Aquíferos Costeiros: Partindo-se de Campos em direção ao mar, os sedimentos vão se aprofundando até cerca de 2.000 metros, formando aquíferos confinados após os 120 metros de profundidade dentro da faixa compreendida entre as cidades de Atafona e Farol de S. Tomé, onde os poços aí construídos apresentam favoráveis vazões específicas, de 4 a 8 m³/hora/m., com surgencias de 15 a 20 m³/hora, alcançando níveis piezométricos de + 4 metros, comprovando que a cunha de água doce avança além da faixa litorânea. Infelizmente, o mesmo potencial aquífero dos Municípios de Campos e de S.J. da Barra não ocorre nos Municípios de S.F. do Itabapoana (ao Norte) e de Quissamã, (ao Sul) devido a pequena espessura e principalmente a argilosidade da Formação Geológica sedimentar que os recobre, denominada tectonicamente de Altos Estruturais da Formação Barreiras Primitiva, de idade Terciária, conforme visualizada no Desenho 2.

Desenho 2- Mapa Geológico da Bacia de Campos. Assim, estes Altos Estruturais existentes ao norte e sul do centro da bacia, desde o período terciário, funcionam hidraulicamente como perfeitas ombreiras naturais de uma grande barragem subterrânea, onde o Bloco Central, tectonicamente rebaixado e favorecido por elevado gradiente hidráulico (~4%) corresponde a seu vertedouro, desaguando integralmente ao mar seus volumes entre as cidades de Atafona e Farol de S. Tomé, com distancia de 45 km, se constituindo em um fabuloso exutório de água doce, considerado como a maior reserva de água subterrânea do Estado do Rio de Janeiro. Estes condicionantes estruturais explicam porque todos os poços construídos geograficamente dentro do triangulo formado pelas cidades de Campos, Atafona e Farol obtiveram bons resultados. Como veremos adiante, o aqüífero confinado que ocorre na costa, a partir dos 120 metros de profundidade, possui espessura média estimada de 180 a 200 metros e apresenta um formato na seção Norte / Sul como a de uma grande gota achatada na superfície e voltada mais para o Sul, totalmente envolta por sedimentos contendo água salgada. Além de sua grandeza, este aqüífero é suspenso, e apresenta características hidráulicas peculiares como nenhum outro aqüífero costeiro neste país possui, e desta forma, complexo de ser estudado. Considerando que até agora os poços construídos, projetados para atendimento às pequenas e médias demandas existentes, apenas “arranham” a porção superficial do aqüífero, espera-se produções superiores, caso haja necessidade de maiores requerimentos. Neste caso, haveria necessidade de estudos pormenorizados das condições de ocorrência, acumulação e movimentação da água doce no meio poroso, de fundamental importância para o futuro planejamento racional de exploração do aqüífero, visando efetuar entre outros elementos o cálculo do balanço hídrico avaliando recarga versus volumes que se perdem ao mar, e vazão máxima a explorar atendendo a demanda ao longo do tempo, a depender da locação dos poços. Os 9 (nove) poços construídos próximo a costa, atualmente responsáveis pelo abastecimento de quase todos os Distritos de S. João da Barra incluindo Farol de S. Tomé, produzem um volume médio total de 705,77 m³/hora (196,0 litros/seg) com produções individuais variando de 260 m3/h (Poço de Farol) a 45 m3/h (poço de Barcelos) abastecendo um contingente de aproximadamente 60.000 habitantes. Estes poços, desde suas construções até hoje, não apresentaram registros de queda de vazão ou variação na qualidade, apesar de suas operações requererem melhores controles e manutenções. Geralmente o regime de trabalho é integral, principalmente em época de veraneio, e apresentam vazões surgentes de 15 a 20 m³/hora e específicas da ordem de 4,0 a 8,0 m³/h/m segundo dados obtidos relatório CEDAE de 2003.

Foto 3- Aspecto da surgencia do Poço de Cajueiro, em São João da Barra (foto Gérson Távora) Com referencia à qualidade, todos os poços construídos nos aquíferos confinados, sem nenhuma exceção, requerem apenas cloração preventiva. Os poços construídos mais próximos ao Bloco Norte, em S.João da Barra, apresentam valores máximos de Sólidos Totais Dissolvidos em torno de 300 ppm, diminuindo para até 150 ppm nos poços construídos mais próximos do Bloco Sul, como obtido no poço de Farol de S. Tomé. Com referencia à cloretos, obteve-se valores de 30 ppm para o poço de Farol, valor este considerado excelente resultado para aquíferos costeiros. Foto 4 - Bombeamento do poço de FAROL, com vazão operacional de 260 m³/h. e Sólidos Totais Dissolvidos = 150 ppm (foto Rodrigo Rato) Assim, considerando que compartilhar informações úteis, principalmente quando o assunto é água, é um ato de cidadania, este informe também alerta sobre a construção de poços que resultarão improdutivos caso locados nos referidos Altos Estruturais. Por outro lado, fornece subsídios técnicos para a compreensão da delimitação da interface de água doce e salgada na região de praia, além de sugerir uma proposta de compartilhamento na gestão dos aquíferos. 4-Delimitação Simplificada da Interface Água doce / Água Salgada: Neste item, apesar de seu caráter estritamente preliminar, deve-se considerar que a delimitação da interface foi elaborada com dados técnicos consistentes, obtidos da interpretação dos seguintes documentos: -Do acompanhamento técnico de todos os poços citados, -Dos perfis geofísicos realizados em quase todas perfurações, -Dos resultados qualitativos de bombeamento seletivo nas seções filtrantes de determinados poços, -Das descrições de testemunhos de sondagem, -Dos resultados das análises da água, -Da análise da bibliografia existente. (Poço estratigráfico Petrobrás em Farol de S.Tomé) Assim, a delimitação da interface água doce / salgada pode ser entendida de acordo com os seguintes dados: (Ver perfil hidrogeológico Atafona / Farol). A)- A delimitação da interface no seu limite Sul (no Município de Quissamã) foi analisada de acordo com os dados técnicos dos seguintes poços: -No poço de Barra do Furado, (com 201 metros, que produziu apenas pequena faixa de água doce, correspondendo ao limite da cunha de água doce em seu extremo sul). - No poço construído pela Petrobrás em Farol de S. Tomé, (que ultrapassou toda a cunha de água doce, dos 120 aos 320 metros) B)- A interface do aqüífero em seu limite Norte, no Município de S.F. do Itabapoana, foi analisada de acordo com os dados técnicos obtidos dos seguintes poços: -Com o resultado negativo do Poço da Praia de Sant Clara, com 161 metros, que produziu baixa vazão e água salobra. -Com os resultados da análise de água obtida das primeiras seções filtrantes aplicadas nos 4 poços em operação na Praia de Gargaú. C)- A delimitação da extensão do topo da interface, entre as cidades de Gargaú e Farol de S. Tomé, foi estimada principalmente combinando-se os resultados das análises de água com as primeiras seções filtrantes aplicadas nos poços produtores de: -Farol de S.Tomé -Barra do Açu -Ilha de Grussaí (ainda não equipado) -Grussaí 1 -Grussaí 2 -Atafona e -Gargaú (4 poços) D)- A delimitação da extensão da base da interface, foi analisada de acordo com os dados técnicos dos seguintes poços: -Em seu limite Sul, com a interpretação geofísica e dados técnicos compilados do Relatório do Poço Estratigráfico da Petrobrás. -Em seu limite Norte, a seção inferior da interface foi estimada com o resultado negativo obtido pela CEDAE no Distrito de Gargaú, onde o Poço da Figueira atingiu o cristalino com 216 metros, produzindo grande vazão, porém com água de qualidade salobra. Desenho 3- Perfil hidrogeológico esquemático da faixa costeira da bacia de Campos. 5-Conclusões e recomendações: As características hidrogeológicas do Bloco Central dos Municípios de Campos e de S.João da Barra indicam grande potencial hídrico, sem dúvida o maior reservatório de água doce subterrânea do Estado do Rio de Janeiro. A partir da baixada da Cidade de Campos, ocorrem espessos aluviões, formando um aqüífero livre, cujos poços produzem vazões específicas de 12 m³/h/m a 36 m³/h/m, com profundidades de 50 a 100 metros, exigindo tratamento exclusivo para ferro. Atualmente, apenas 2 poços são responsáveis pelo abastecimento da R.M. de Campos e dos Distritos de Donana, Goytacazes e Tocos, atendendo um contingente de 51.500 consumidores. A medida que se aproxima da costa, os sedimentos vão se espessando formando aquíferos confinados, permitindo vazões específicas de 4,0 a 8,0 m³/h/m, através de poços com cerca de 230 metros de profundidade, com seu exutório localizado entre as Cidades de Atafona e Farol de São Tomé. Na região costeira, o aqüífero está confinado por camadas impermeáveis de origem marinha, com espessuras em torno de 120 metros. A partir desta profundidade ocorrem sedimentos mais grosseiros, de origem continental, com espessura média estimada de 180 metros contendo água potável. Estima-se que a partir dos 300 metros novamente ocorram sedimentos marinhos, condicionando o aqüífero a possuir um formato suspenso, como uma grande gota de água visualizada na posição transversal, transportando água doce por baixo do leito marinho e apresentando desta forma um condicionamento hidráulico extremamente peculiar, do tipo suspenso, considerado único caso no país. Até onde a interface avança não se sabe ainda, mas seguramente ocorre além da faixa litorânea, conforme verificado pelo artesianismo de todos os poços construídos junto ao mar. Os 5 poços costeiros em operação nas cidades de Atafona, Grussaí 1, Grussaí 2, Açú e Farol estão produzindo em regime integral 468,0 m3/hora, (130 litros/seg) não havendo até o momento registros de quedas de produção ou perda de qualidade, apesar da operação dos poços requerer um maior controle com vista às necessidades de manutenção. A vazão média por poço nesta área é de 26 litros/seg. As análises das águas destes poços indicaram sólidos totais dissolvidos variando de 300 ppm em Grussaí a 150 ppm no poço de Farol, portanto dentro dos limites químicos de potabilidade quanto a salinidade, prescindindo de qualquer tratamento, exceto cloração preventiva. Enfim, pode-se em princípio afirmar que o Município de São João da Barra e todas as cidades campistas situadas próximo a costa e aquelas inseridas em um triangulo formado pelas cidades de Campos, Atafona e Farol poderão ser abastecidas com segurança e a baixos custos exclusivamente através de poços profundos. Desta forma, os resultados apresentados evidenciam que a captação de água subterrânea neste bloco é uma alternativa que veio para ficar, pois poços construídos há mais de 20 anos continuam a produzir, a despeito de sua operação requerer maiores cuidados frente aos necessários serviços de desinfecção e de manutenção, resultando: i)- Quedas de produção e qualidade, ii)-Aumento das taxas de energia, iii)-Riscos de perda de bombas ou mesmo dos poços por queda das bombas submersas instaladas. Finalmente, face a importância econômica, estratégica e social que os aquíferos representam para abastecimento gradual e seguro destas municipalidades, propõe-se que todos os poços construídos e a construir na área em tela sejam monitorados através da instalação em seus barriletes de um sistema simplificado de controle operacional, contando com abrigo, hidrômetro, tubo piezométrico, horímetro, manômetro, torneira de coleta e um sistema para desinfecção, objetivando registros permanentes de volumes extraídos, de seus níveis piezométricos, dos tempos de operação, do consumo de energia, e da qualidade da água, conforme sugerido no Desenho 4. A análise das informações coletadas nos poços produzirá benefícios diretos para a operação, como prolongamento da vida útil do sistema poço/bomba e programação das manutenções preventivas. Entretanto, o objetivo maior que se propôe atingir, é a coleta de dados operacionais dos poços existentes, visando construção de uma ferramenta gerencial focada na preservação e na exploração racional do aqüífero. Assim, concomitante a reforma dos barriletes, seria instalado um sistema automatizado composto por um controlador programável e uma interface conectada a um computador(es), que permite, através da instalação nos quadros elétricos dos poços, efetuar por telemetria sua monitoração a distancia. Este sistema, além de proteger as bombas submersas instaladas, agrega vantagens, como o controle da estabilização do nível dinâmico, conhecimento diário da produção, do consumo de energia, e da pressão da rede de recalque, fornecendo um banco de dados para interpretação das condições de exploração do aqüífero bem como para análise dos indicadores de manutenção. Caso implantado, além de monitorar o aquifero, o sistema resultaria no aumento de vida útil dos poços, e por conseqüência evitaria riscos de perda das bombas e dos próprios poços devido a má exploração de produção. Seria possível também monitorar o desgaste das próprias bombas, através da visualização do seu histórico da vazão, do consumo de energia, da temperatura da bomba, do nível dinâmico e dos parâmetros elétricos do conjunto motor bomba, permitindo uma manutenção preventiva em períodos programados, não acarretando desgastes junto aos usuários, garantindo uma operação segura e não assistida. Como o gerenciamento dos recursos hídricos do Estado do Rio de Janeiro é de competência da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, ente sob a qual se acha a SERLA como órgão gestor, sugere-se a esta que o gerenciamento dos referidos aquíferos e a interpretação dos dados seja feito por telemetria em forma de cooperação técnica entre as Concessionárias de Águas dos citados Municípios junto a outros parceiros intervenientes, como a PETROBRÁS, DRM, UFRJ, CEIVAP e Prefeituras de Campos e de S.João da Barra. Desenho 4- Projeto esquemático de instalação de barrilete operacional para poço surgente. (FOTO EM BREVE) Rio de Janeiro, 25 de maio de 2007. Geólogo Egmont Capucci: egmoncapucci@globo.com Cedae -Diretoria do Interior Fones (21) 9355-3895 e (21) 2295-0109

FÓRUM SOCIAL NF 2009 ACONTECE NO ESPAÇO DA CIÊNCIA EM SJB

Arte e Design : Artista Campista Ivald Granato.
Deu no Blog do Professor Roberto Moraes
-----------------------------------------------
O CNFCN – Centro Norte Fluminense para Conservação da Natureza realizará o FÓRUM SOCIAL NF 2009 no Espaço da Ciência – Novo Balneário de Atafona – São João da Barra/RJ, entre 29/01 e 01/02, evento com atividades autogestionadas conectado com o 9º FÓRUM SOCIAL MUNDIAL - AMAZÔNIA 2009, que será realizado em Belém/PA.
O FSNF 2009 será um espaço aberto de encontro – plural, diversificado, não-governamental e não-partidário -, que estimulará o debate, a reflexão, a formulação de propostas, a troca livre de experiências e a articulação entre todos os participantes, individuais ou de entidades e movimentos da sociedade civil.
Programação
-Debates com a participação de representantes da UENF, UFF, IFF, sociedade civil organizada e comunidade sobre temas como: Os desastres ambientais no rio Paraíba do Sul, Oportunidades e impactos relacionados aos mega empreendimentos na região;
- Oficinas como: Ecologia do Ser, Zen Graça com instrumentos reciclados, Varal Ecológico;
- Mostra de filmes com temática socioambiental local;
- Exposição de fotografias;
- Apresentação de peças teatrais, shows, instalações, VJ e DJ;
- Mostra da programação do 9º Fórum Social Mundial – Amazônia 2009, através da Belém Expandida.
PS.: 1 - Contatos: Antonio Luiz Baldan - albaldan.cine@gmail.com;
2 - A arte do evento segundo a organização é do artista campista Ivald Granato.

SHERWIN -WILLIANS TEVE CERTIFICAÇÃO OHSAS 18001

Fábricas de Taboão da Serra (SP) e Sumaré (SP) atendem todos os requisitos em gestão de segurança e saúde no trabalho para garantir sustentabilidade
São Paulo, SP – A Sherwin-Williams, uma das empresas líderes do segmento de tintas no Brasil, anunciou a conclusão dos processos de certificação OHSAS 18001 (Occupational Health and Safety Assessment Series). O certificado, concedido pela ABS Quality Evaluation na versão 2007, foi conquistado pelas duas plantas da companhia, a planta de Taboão da Serra (SP), onde são fabricadas tintas de base água e de Sumaré (SP), que produz tintas base de solvente, como as utilizadas para fins industriais, além das linhas spray.
O certificado OHSAS garante que a Sherwin-Williams atende uma série de requisitos em gestão de segurança e saúde no trabalho, bem como a legislação vigente, demonstrando assim uma forte preocupação com o bem-estar de seus colaboradores. A empresa já detém também, desde 1998, a certificação ISO 9.001 (Sistema de Gestão da Qualidade) e, desde 2001, a certificação 14.001 (Sistema de Gestão Ambiental).
“Sempre reforço com nossos colaboradores que a certificação é apenas uma estruturação de vários procedimentos que precisamos colocar em prática. A certificação é apenas um meio. Esta é uma estrada longa e ainda estamos na metade do trajeto. Nosso objetivo é o acidente zero.
Queremos uma fábrica totalmente livre de quaisquer riscos e acidentes”, assinala Eraldo Luiz Patti, Diretor de Operações da Sherwin-Williams e incentivador do projeto de certificação.
“A Sherwin-Williams é uma empresa preocupada com a responsabilidade sócio-ambiental. Uma das formas de demonstrar nossa responsabilidade social com nosso colaborador foi a obtenção da certificação 18001, o que nos prepara para o futuro assegurando nossa sustentabilidade”, acrescenta Célia Queiroz, Diretora de Recursos Humanos e também incentivadora do projeto.
A OHSAS é estruturada dentro do conceito de Ciclo de PDCA (Planejar, Verificar, Implementar, Agir) para que a empresa certificada esteja sempre focada na melhoria contínua. A Sherwin-Williams passou por uma cuidadosa auditoria e obteve a certificação por atender todos os requisitos. Antes da auditoria, a empresa traçou um planejamento detalhado para avaliar todos os perigos e riscos existentes nas plantas.
“Fizemos um completo mapeamento das fábricas. Ao identificar um perigo, verificamos qual é seu impacto para o colaborador e quais medidas devem ser tomadas para minimizar riscos ou agir em caso de acidente. Ao todo, foram treinados mais de 1000 colaboradores entre efetivos, terceirizados e temporários”, explica a diretora de recursos humanos. “Para garantir o cumprimento das normas, elaboramos um Manual do Sistema Integrado de Gestão, Procedimentos e Instruções de trabalho que fica disponível na nossa Intranet e é constantemente atualizado. Cada vez que for instituída uma nova instrução de trabalho será realizado um novo treinamento”, completa.
GRUPO SHERWIN-WILLIAMS
A Sherwin-Williams está presente no Brasil há mais de 60 anos com o objetivo de trazer ao mercado as melhores opções em revestimento e proteção com tintas para as mais diversas finalidades. A empresa atua tanto no segmento imobiliário, quanto industrial e automotivo, sempre com produtos reconhecidos por sua durabilidade, qualidade e inovação. Entre suas principais marcas estão Metalatex, Novacor, Kem Tone, Aquacryl e Colorgin, amplamente reconhecidas por formadores de opinião e consumidores.
Reconhecidamente uma das empresas do setor que mais investem em pesquisa e desenvolvimento, a Sherwin-Williams é responsável por diversos produtos que tornaram-se referências de mercado, como o primeiro esmalte a base d’água, a primeira tinta repelente e o primeiro spray aerosol que utiliza como base a água.
A empresa está localizada no estado de São Paulo, onde possui escritório e fábrica no município de Taboão da Serra, no segmento imobiliário. Também fazem parte do grupo a unidade de tintas industriais e aerosol em Sumaré, a divisão Lazzuril, voltada para a indústria automotiva e instalada em São Bernardo do Campo; e a divisão Pulverlack, que produz tinta em pó. Fonte: Sefirah Araujo - FirstCom Comunicação.

PORTAL SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS ENTRA NO AR

Em dezembro entrou no ar o portal http://www.mudancasclimaticas.andi.org.br/ destinado exclusivamente ao tema das mudanças climáticas. A iniciativa é da Embaixada do Reino Unido no Brasil, do Conselho Britânico e da Agência de Notícia dos Direitos da Infância - ANDI.
Sempre atualizado e com material em português, o portal vem enriquecer e facilitar a cobertura do tema pela imprensa, assim como a realização de pesquisas e trabalhos tanto acadêmicos quanto de outros níveis de ensino. Trata o assunto 'mudanças climáticas' de forma clara, acessível e abrangente. Oferece informações e reflexões contextualizadas, de maneira que o fenômeno apresente-se como de fato é: uma questão transversal, ou seja, que afeta todos os setores da sociedade. Para isso, conta com recursos extras, como vídeos, gravações de depoimentos, fotografias, entrevistas e artigos livres de copyright, desde que citadas as fontes. Especialmente aos jornalistas, devem interessar o glossário de termos da área e, sobretudo, o banco de pautas.
Alguns exemplos do menu do portal:
Conceitos e definições. A agenda do clima. Busca de alternativas. Ciência do clima. Causas, impactos, soluções. Críticas e contrapontos. Políticas públicas. Clima e imprensa.
De fácil navegação, o site permite tanto consultas rápidas quanto pesquisas mais profundas. A vasta relação de links para outros sites de temática semelhante facilita o trabalho de quem, depois de consultar o portal, desejar ainda mais informação ou dados específicos.
"Esse trabalho é o coroamento de uma iniciativa que o governo britânico e a ANDI vêm desenvolvendo já há algum tempo, que consiste em estimular a imprensa a cobrir mais e melhor o tema das mudanças climáticas. Antes do portal, lançamos uma análise de mídia que apontava o estado da arte da cobertura jornalística nessa área, e o site vem reforçar a necessidade, identificada na pesquisa, de uma melhor contextualização do tema, uma visão de conjunto que permita à sociedade construir respostas efetivas a esse fenômeno planetário", observa o diretor executivo da ANDI, Veet Vivarta.
Fonte: Iran Magno.

AS RESTINGAS DE TUCUNS SÃO DIFERENTES DAS DE IQUIPARI? VEJA A MATÉRIA EM QUESTÃO

Veja a matéria abaixo sobre a construção indevida de bangalôs em Áreas de Preservação Permanente (Restinga) e tire suas conclusões...
------------------------------------------------------
Deputado Constata Irregularidades na Construção de Resort em Búzios
24/1/2009
Fernanda Pedrosa
Uma multa de R$ 5 milhões é o que a empresa Wrobel poderá receber por descumprir todas as exigências feitas, no ano passado, pela Comissão de Defesa do Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do Rio, durante audiência pública realizada para discutir as intervenções que seriam causadas pela construção do resort Praia Clube Breezes, na Praia de Tucuns, em Armação dos Búzios, Baixada Litorânea do estado. "Esse tipo de crime ambiental é grave e pode acarretar multa de até R$ 50 milhões. Mas, pelo que vi aqui nesta quarta-feira (21/01), o Governo deve aplicar uma punição que, pelo histórico de outros casos parecidos, deve ficar em torno de R$ 5 milhões", garantiu o presidente da comissão, deputado André do PV, que esteve no local vistoriando as obras. O parlamentar listou as irregularidades cometidas pela construtora: bangalôs instalados a menos de 33 metros da praia, postes de iluminação colocados na faixa de areia e a não-apresentação do documento com o prazo de licença de implantação da obra emitida pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea). "Vou encaminhar um relatório do que vimos aqui ao Inea, para que o instituto tome as medidas cabíveis, tais como as medições no local para ver até que ponto essas intervenções prejudicaram a flora e a fauna da Praia de Tucuns. O que me parece é que boa parte da vegetação de restinga foi afetada", relatou o verde. O deputado informou que as restingas são protegidas por lei federal, já que compõem o que é conhecido como Área de Preservação Permanente (APP). "Vou lutar para que essas obras sejam totalmente paralisadas", frisou André do PV. Nesta quinta-feira (22/01), o parlamentar permanecerá na região. A partir das 8h, ele irá vistoriar a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Praia Grande, em Arraial do Cabo. Depois, o verde segue para verificar o funcionamento de ETEs em Cabo Frio, São Pedro da Aldeia, Iguaba Grande e Araruama. O deputado disse ainda que pretende ir à Fazenda Campos Novos, também em Cabo Frio, para verificar as condições em que são mantidos os animais recolhidos pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento. Na próxima semana, André do PV fará vistorias em pontos identificados pela Comissão de Defesa do Meio Ambiente da Casa como sendo os de maior concentração de poluição do Rio Paraíba do Sul.

DEFESA CIVIL DE SJB MONITORA O RIO PARAÍBA DO SUL

PREFEITURA DE SÃO JOÃO DA BARRA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL Márcio Fernandes 23/01/2009 O nível do Rio Paraíba do Sul, em São João da Barra, subiu 48 centímetros na madrugada desta sexta-feira (23), segundo informa a Defesa Civil Municipal. De acordo com o órgão, o normal são sete metros, mas na medição feita pela manhã já chegava a 7,48 metros. O nível de transbordo é de 8,20 metros. Desde a última quinta-feira (22), uma equipe está de plantão 24h acompanhando a situação e as medições são a cada duas horas. Porém, apesar dos 48 centímetros acima do nível considerado normal do Paraíba, o coordenador da Defesa Civil, Felício Valiengo, procura tranqüilizar a população. “A situação é considerada dentro do normal, e por enquanto não há riscos de enchentes”. Ele explica que a cheia do Rio Paraíba se deve principalmente as chuvas em dois estados da região: na região da Zona da Mata, Minas Gerais, e no Vale do Paraíba, em São Paulo. "Temos uma equipe de plantão monitorando a situação que está tranqüila e por enquanto não há riscos", afirma Valiengo. Sobre o processo de recuperação do Dique do Viana, em Cajueiro, o coordenador da Defesa Civil voltou a afirmar que a prefeita Carla Machado está atenta no andamento da obra e a previsão é que o enrocamento de pedras seja concluído num prazo de até 90 dias. Ele diz que a intervenção que vem sendo feita no local, tem objetivo de dissipar força do Paraíba na área.

FÓRUM DE CIÊNCIAS E MEIO AMBIENTE TEM INÍCIO EM SÃO JOÃO DA BARRA

Prefeitura de São João da Barra Secretaria de comunicação Social Maurício Barreto 23-01-09 Meio Ambiente A evolução recente da erosão na praia de Atafona foi o tema enfocado na última quinta-feira (22), na abertura do II Fórum de Ciências e Meio e Ambiente. O evento está inserido na programação do Verão 2009 “O paraíso é aqui” elaborado pela prefeitura de São João da Barra e prossegue até o dia 12 de fevereiro, sempre às quintas-feiras, a partir das 17h, no Espaço da Ciência Maria de Lourdes Coelho da Anunciação, em Atafona. A palestra, com cerca de 30 minutos de duração, foi ministrada pelo professor Gilberto Pessanha (Uff/Uerj), que há cinco anos vem realizando, através de mapeamentos, estudos sobre a região do Pontal. Em seguida, foi exibido o curta-metragem "Atafona por quê?", onde o fenômeno da erosão é analisado a partir de relatos de moradores e sob o ponto de vista científico. — Procuramos fazer um relato sobre a erosão falando a respeito das ondas, da maré, e da velocidade do vento, tudo isso tendo como base sua evolução a partir de 2007. Foi uma palestra que teve por objetivo fazer com que o público entendesse de uma forma geral o fenômeno — explica o professor. Realizado pela primeira vez no verão de 2008, o Fórum tem por objetivo oferecer a turistas, estudantes e pessoas da comunidade a oportunidade de debater e expandir conhecimentos sobre importantes questões relacionadas ao meio ambiente, como aquecimento global, aves marinhas brasileiras, rio Paraíba do Sul e sobre o avanço do mar, com destaque para a praia de Atafona. O ciclo de palestras prossegue na próxima quinta-feira, 29 de janeiro, com o professor do Cefet/Upea, Vicente de Paulo dos Santos Oliveira, falando sobre monitoramento ambiental das águas do rio Paraíba do Sul. Aves marinhas brasileiras, com o professor Ricarddo Novelli, da Uenf, e a astronomia em nosso dia-a-dia, com o professor Marcelo Oliveira, também da Uenf, serão os temas das palestras a serem realizadas, respectivamente, nos dias cinco e 12 de fevereiro. — As informações transmitidas e debatidas irão contribuir para uma relação mais respeitosa entre visitantes, moradores e meio ambiente, com destaque para alguns ecossistemas do município de São João da Barra — explica o coordenador do Espaço da Ciência Maria de Lourdes Coelho da Anunciação, Plínio Berto, lembrando que as pessoas que desejarem participar do Fórum ainda podem fazer inscrições no local do evento ou pelo telefone (22)2741-0289.

MOSTRA “PONTAL SEMPRE PONTAL” NO ESPAÇO DA CIÊNCIA

Prefeitura de São João da Barra Secretaria de Comunicação Social Nelita Campos 23-01-09 Meio Ambiente Na próxima quarta-feira, dia 28, o Espaço da Ciência do Novo Balneário de São João da Barra dá início ao projeto Arte no Espaço, com mostras temáticas de arte. O primeiro tema abordado vai ser o Pontal de Atafona. A mostra vai trazer um sentimento de saudosismo para as pessoas que freqüentaram o Pontal desde a década de 70. Várias fotografias vão ser expostas lembrando a paisagem do local e seus bares, como o Bar do Ricardinho, Palafita e Sirilândia. O projeto Arte no Espaço, além do caráter educativo, busca também promover o artista sanjoanense e valorizar sua obra já que o tema vai ser retratado através de fotografias, telas, filmes, poesias e artesanato. As fotos serão expostas por Rose Gaia, Dudu Linhares e Emanuel Coutinho, as telas por Acy Leal e Marise Gaspar e o artesanato vai ficar por conta de Jair Vieira (madeira talhada), Izaldea Lopes (palha e acessórios com couro de peixe) e Isabel e Melissa Gregório (folhas de palmeira, sementes de amêndoas e restos de demolição das construções do local). De acordo com Plínio Berto, coordenador do Espaço da Ciência, o projeto vai ser um grande sucesso, visto que o Pontal tem uma riqueza histórica muito grande. - Além de o Pontal ser o local de encontro entre as águas do rio e do mar, as ruínas continuam atraindo muitos turistas. Por tudo isso sua história é muito rica e atraente, disse. A mostra “Pontal sempre Pontal” começa no dia 28 e se estende até o dia 11. Segue a programação: 28/01/2009 19:00 – Apresentação do projeto Plínio Berto 19:15 - A História do Pontal Prof. Fernando Antonio Lobato 19:30 - A Cultura do Pontal Wilson Oliveira 19:45 - Poesias do Pontal Suely Petruci Nilse Lobato 20:15 - Lendas e Histórias de Pescador Contadores de histórias 20:45 – O Grande Momento do Jongo Companhia Gente de Teatro - Campos 21:30 - A Música no Pontal Apresentação musical com grupo de serestas, representando os “violeiros” da boêmia do Pontal. 29/01 a 11/02/09 – Exposição de obras de artistas locais e da região, no salão do Espaço da Ciência, contemplando o tema “Pontal sempre Pontal”.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

REPÓRTER DA FOLHA DA MANHÃ RELATA A ANDRE PINTO A EMOÇÃO DE ENCONTRAR CAMINHO ALTERNATIVO NO RIACHO DOS MACACOS, NO DELTA DO PARAÍBA DO SUL

A amiga sanjoanense Júlia Maria, repórter experiente do Jornal Folha da Manhã de Campos dos Goytacazes e assessora de imprensa do Hospital Álvaro Alvim, em conversa informal comigo, relatou um inesquescível passeio feito recentemente ao manguezal do delta do Paraíba do Sul, sob a condução do barqueiro Fabiano Magalhães. Júlia disse que o caminho tomado para o interior do manguezal, nem o condutor do barco havia descoberto. Chegando ao local, o silêncio, a paisagem, a contemplação, a reflexão ambiental e acima de tudo, o encontro com DEUS. Assim é o enconto do homem com o manguezal do Delta do rio Paraíba do Sul. Como bloguista, convidei o Jornalista Romildo Guerrante e o fotógrafo Rafael Wallace para fazerem um passeio no Delta sob a condução do barqueiro Baeca. O convite foi Aceito para os próximos dias. Quem são ? Romildo Guerrante - Jornalista que percorreu o rio Paraíba do Sul em 2007, desde sua nascente até a foz relatando as belezas e as causas de degradação do mesmo. A matéria foi publicada na Revista da Alerj, em Dezembro de 2007, nº01 , ano 01. Rafael Wallace - Fotógrafo que percorreu o rio Paraíba do Sul registrando imagens fantásticas da fauna e flora da Bacia Hidrográfica do rio Paraíba do Sul. Tem um click mágico e acima de tudo - Ecológico!.
Veja abaixo a poesia de Manoel Barreto - sanjoanense sapateiro- que editou lindas poesias ambientais como esta do manguezal:
O MANGUE
Tabuleiro boiante, imaginário,
Sombreado pr`um docel nidificado,
Que o passaredo em canto terno e vário,
O ambiente delicia perfumado.
Fofo tapete negro, pontilhado,
Oculta a orla em piscoso e manso aquário,
Onde, ao fundo, o sol, rúbido, espelhado,
Ladeia tremulante monstro sáurio.
Fugaz miragem de crustáceos, viva,
A vista interna foge e surge esquiva,
Encantadoramente primorosa;
Que se poeta a visse, em rima e glória,
Trasladava-te, ó mangue, para a história...
Berço de muita infância esplendorosa!...
São João da Barra, 1942.
UMA OBRA PRIMA!!! Nunca vi nada igual!!!

O BLOG DE ANDRE PINTO AVISOU E A SEA PROIBIU

Segundo nota da SEA- Secretaria de Estado do Ambiente - está proibido o consumo de peixes no rio Paraíba do Sul por não se terem estudos conclusivos da contaminação do "endosulfan 350" na biota aquática. Vamos ser precavidos... Veja o estudo científico apresentado neste blog sobre o "endosulfan 350".
Philip C. Scott, PhD*
Infelizmente, as instituições estatais de Saúde, Meio Ambiente, Pesca e Agricultura do Estado do Rio de Janeiro, aparentemente não estão vendo a gravidade do recente acidente ambiental ocorrido com o despejo do poderoso pesticida Endosulfan que contaminou ¾ do leito do Rio Paraíba do Sul - RPS à partir da empresa Servatis em Resende, RJ. O Endosulfan, um composto organoclorado já banido em tantos países, é classificado pela agência de proteção do meio ambiente dos EUA (U.S. EPA) como altamente tóxico (- Toxicity Category I). É um disruptor do sistema endócrino humano podendo causar toxicidade reprodutiva em humanos. Aumenta o risco de autismo, o atraso da puberdade em meninos e provoca defeitos congênitos no sistema reprodutivo humano. Isso ocorre não apenas em seres humanos, mas também com outros organismos expostos à contaminação. O estudo (http://www.ejfoundation.org/pdf/end_of_the_road.pdf) da Environmental Justice Foundation resume os desastres ocorridos com Endosulfan em vários países onde ele é ou foi vendido por diferentes companhias. O Endosulfan é conhecido por diferentes nomes incluindo Agrosulfan; Aginarosulfan; Banagesulfan; Cyclodan; Endocel; Endoson; Endonit; Endomil; Endosol; Endostar; Endodaf; Endosulfer; E-sulfan; Endorifan; Hildan; Redsun; Seosulfan; e Thiodan. Assim como o DDT e Dieldrin, o Endosulfan é um composto organoclorado e como tal, é persistente no meio ambiente. Seu principal produto de degradação - o sulfato de endosulfan não apenas é mais persistente mas igualmente tóxico. O Endosulfan bioacumula nos seres humanos e outros animais. Por conta dos seus resíduos no meio ambiente e a contaminação de gado através de pastos afetados por Endosulfan, a Coréia do Sul já rejeitou a carne bovina da Austrália, assim como a União Européia suspendeu suas importações da Tanzania, Uganda e Quênia no passado. Uma pesquisa realizada em apenas 123 domicílios em Kerala na Índia, uma região afetada pela contaminação por Endosulfan, revelou 49 casos de câncer, 43 casos psiquiátricos, 23 epilépticos, 9 com abnormalidades congênitas e 23 com retardamento mental. Na mesma região 170 crianças expostas ao Endosulfan foram comparadas com 92 não expostas e encontrou-se grande diferença entre os grupos inlcuindo pobre desempenho acadêmico, elevada predominância de abnormalidades congênitas, dificuldades de aprendizado, atraso na puberdade dos meninos e alto nível de desordens menstruais nas meninas. E isso, apenas com o uso 'normal' do pesticida, ou seja pulverização aérea de plantações. O testemunho mais contundente sobre o efeito do Endosulfan na Natureza é o de um agricultor do Benin: "Os campos fedem por dois a três dias após a aplicação pois praticamente qualquer ser vivo foi morto e tudo começa a apodrecer". Sabendo que o Endosulfan é um produto altamente tóxico, ultrapassado, cujo emprego seguro não pode ser garantido e que é um produto químico persistente que bioacumula em organismos expostos, seria lógico que as autoridades estaduais banissem imediatamente a produção, venda e aplicação do Endosulfan bem como outros produtos agrotóxicos de natureza similar. Isso requer que o setor industrial cesse a produção e se livre com segurança de todos estoques do produto(s). No contexto de calamidade ambiental que aflige o Norte Fluminense onde as águas do RPS sobem e invadem cidades ribeirinhas, contaminado de várias formas as fontes de águas potáveis da população e sabendo da recente contaminação do RPS por Endosulfan, é de fundamental importância que as autoridades competentes tomem urgentes providências como alertas à população sobre os riscos e gravidade do desastre ambiental que se deflagra e inicie o quanto antes estudos de verificação da presença de pesticidas e poluentes. O efeito combinado do despejo de Endosulfan com a subida das águas poderá incluir a contaminação de pastos ribeirinhos e efeitos a médio e longo prazo na pecuária leitera e de corte do estado. Embora o governo esteja tomando providências para indenizar pescadores artesanais, não houve ainda a proibição de pesca e venda de pescado, que ocorre, e que garante a contaminação da população. Ë um bom momento para a FIRJAN rever seu papel na Sociedade. Não prestar atenção ou tomar providências urgentes e sérias neste episódio é garantir conseqüências trágicas e caras para o futuro da população do estado. Para saber mais veja também: Agroecologia * Universidade Santa Úrsula Instituto de Ciências Biológicas e Ambientais
Rua Jornalista Orlando Dantas 59
Botafogo
22231-010
Rio de Janeiro - RJtel: (21) 2553-4310
http://www.laquasig.bio.brphilip@laquasig.bio.br Artigo recebido por e-mail de: Guilherme Souza
Diretor Técnico - Projeto Piabanha
Empreendedor Social Ashoka
R. Nilo Peçanha, 268
Centro
Itaocara - RJ
CEP:28.570-000Tel: (22) 3861-2569 / (22) 8112-5090
Postado por Ambientalistas

TRIO DO MEIO AMBIENTE NO PROJETO CABEÇA FEITA NO CINE TEATRO SÃO JOÃO

Foto: Andre Pinto junto com Marco Pacheco em palestra no CIEP Gladys Teixeira em São João da Barra.
Foto: Andre Pinto , Marco Pacheco ,profesores, alunos e funcionários da DTA e Ecológus em palestra no CIEP Gladys Teixeira em São João da Barra.
Foto: Andre Pinto e Luiz Henrique no manguezal da lagoa do Açu. Nossos netos terão esse prazer?
Os funcionários Públicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Serviços Públicos - SEMASP - Andre Pinto ,Luiz Henrique e Marco Pacheco estarão se apresentando no Projeto "Cabeça Feita" promovido pelo Tilápia Moto Clube, no Cine Teatro São João no próximo dia 27/01/09 às 11 horas, na sede do município.
O Projeto "Cabeça Feita" é uma iniciativa do Tilápia Moto Clube para trabalhar com os jovens as questões relacionadas à drogas, álcool, meio ambiente e turismo, principalmente para os motociclistas sanjoanenses que precisam de muitas orientações para se tornarem ainda mais conscientes e visarem a redução de acidentes.
Haverá uma performance-palestra, onde Luiz Henrique fará uma encenação ambiental e Andre Pinto e Marco Pacheco falarão das questões relacionadas ao meio ambiente e o motociclismo, citando exemplos de como economizar água para lavar as motos, como descartar os óleos e graxas das motos em recipientes próprios, como utilizar escapamentos menos barulhentos e mais econômicos, como economizar combustível com ações simples, como passear no ambiente natural sem agredir a natureza, como aproveitar a contemplação da natureza através das motocicletas fazendo das mesmas um instrumento para o lazer e turismo.
Muitas ações de consciência ambiental levarão os presentes a repensarem suas atitudes, como o reaproveitamento de pneus, óleos, solventes, etc. A redução de emissões de CO2 na atmosfera também fará parte dos temas abordados.
A estimativa de público gira em torno de 150 pessoas.

IMPERDÍVEL O II FORUM DE CIÊNCIAS E MEIO AMBIENTE NO ESPAÇO DA CIÊNCIA MARIA DE LOURDES C. ANUNCIAÇÃO !

II FORUM DE CIÊNCIAS E MEIO AMBIENTE Dentro da programação do verão 2009 da Prefeitura Municipal de São João da Barra, estará acontecendo no Espaço da Ciência Maria de Lourdes Coelho Anunciação, em Atafona, o II Fórum de Ciências e Meio Ambiente, constando de um ciclo de palestras com destaque para temas ambientais. Segundo o Coordenador do Espaço da Ciência, Plínio Berto, no ano passado a proposta foi bem recebida pelo público que compareceu ao evento, motivando a realização deste segundo Fórum. A jornada tem o objetivo de oferecer aos turistas, estudantes e pessoas da comunidade, a oportunidade de debater importantes questões relacionados com o meio ambiente, como o aquecimento global, o avanço do mar no litoral de Atafona, aves marinhas brasileiras e sobre o rio Paraíba do Sul. Conhecer para ajudar a proteger, a partir das informações que serão transmitidas e debatidas, que irão contribuir para uma relação mais respeitosa entre os visitantes e moradores e o meio ambiente, com destaque para alguns ecossistemas do município de São João da Barra. O evento é aberto ao público, com as palestras acontecendo às quintas-feiras, com início às 5 da tarde. As inscrições podem ser feitas no Espaço da Ciência, ou pelo telefone 2741-0289. A programação do Fórum consta dos seguintes temas: Dia 22/01 – Evolução recente da erosão em Atafona Exibição do filme: Atafona Por quê? Prof. Gilberto Pessanha (UFF/UERJ) Dia 29/01 – Monitoramento ambiental das águas do rio Paraíba do Sul Prof. Vicente de Paulo dos Santos Oliveira (CEFET/UPEA) Dia 05/02 – Aves marinhas brasileiras Professor Ronaldo Novelli (UENF) Dia 12/02 -- A Astronomia no nosso dia a dia Professor Marcelo de Oliveira Souza (UENF)

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

CLUBE DEMOCRATA PASSA POR REFORMAS

Quem passa na Rua Joaquim Thomás, vê o prédio do tradicional Clube Democrata passando por grandes reformas. Segundo ouvi de terceiros, pretendem-se fazer além de muitas melhorias estruturais, se construir uma churrascaria no local. Vamos aguardar...
Isso demonstra o respeito e carinho da diretoria com os seus sócios e visitantes. Parabéns.

MAIS UM PATRIMÔNIO HISTÓRICO PRESTES A SUMIR DA JOAQUIM THOMÁS DE AQUINO FILHO

Ao que tudo parece, o antigo prédio histórico de belos traços arquitetônicos (estilo neo-clássico) que ficava em destaque na rua Joaquim Thomás de Aquino Filho em frente à agência do INSS e que serviu ultimamente para abrigar sorveteria, agora está se tornando ruínas, para dar espaço a nova construção, por iniciativa privada.
E assim, a cidade caminha rumo ao desenvolvimento, no entanto, perdendo um pouco de sua identidade histórica, com o extermínio dos casarões vistosos existentes num tempo de austeridades e muitas lembranças do porto fluvial...
Senhores vereadores, vamos criar as Leis municipais de tombamentos de patrimônio histórico material e imaterial. Tem também o reisado das pastorinhas, a Procissão do Santíssimo, o Bando, o jongo, o puxa-puxa de Odyr, os caramelos de Milva, o carapito e por aí vai...
A preservação do ambiente urbano - aqui, prédios históricos - é fundamental para a disseminação da cultura e turismo. Quem já foi à Ouro Preto e ao prórpio centro de Campos dos Goytacazes sabe disso!

SAIBA MAIS SOBRE AS CASUARINAS DE SÃO JOÃO DA BARRA

Foto : Ave australiana chamada Casuar, que deu o nome origem da árvore casuarina, por causa da semelhança de suas penas com as folhas finas das casuarinas.
Curtir o verão em São João da Barra é sensacional! Quando o sol está muito quente e as areias da praia quase ficam em brasas, não pensamos duas vezes : procuramos uma sombra das casuarinas da orla para nos refrescar! Mas as casuarinas nas praias sanjoanenses tem dado conflitos junto ao IBAMA, que entende ser, este espécie exótica, agressiva ao bioma de restinga e dunas. Bom, a Perfeitura Municipal de São João da Barra vem realizando em estágios o manejo desta espécie em APP`s (Áreas de Preservação Permanente). No final, acho que o problema será resolvido para ambos os lados. Enquanto não se chegou ao denominador comum, aprecie sem moderação o histórico da casuarina.
Casuarina
Nome científico: Casuarina Stricta Ait. Família: Casuarinaceae Nomes vernáculos: beefwood, sheoak (inglês).
Aspectos gerais - Com este nome costuma-se denominar cerca de 50 espécies da família das Casuarináceas, originárias da Austrália, onde crescem abundantemente. Também é encontrada em estado nativo na Nova Caledônia, Bornéu e Sumatra. A casuarina, em suas várias espécies, espalha-se por várias regiões do mundo adaptando-se muito bem. Apesar do grande número de espécies, todas têm aspecto semelhante ao das coníferas.
No Brasil, as casuarinas, principalmente a Casuarina stricta Ait, acham-se perfeitamente aclimatadas, vegetando desde o Rio de Janeiro até o Rio Grande do Sul. As principais plantações localizam-se em São Paulo e no Rio Grande do Sul.
O nome de casuarina se deve à semelhança de suas folhas com as do "casuar", ave que habita na Austrália e em outros lugares da Oceania.
No seu país de origem, esta planta serve para aplacar a sede quando se mastigam os renovos e os cones novos, que liberam um suco ácido muito agradável, semelhante ao ácido cítrico. Segundo informações de alguns autores, os ramos da casuarina, quando tenros, podem ser utilizados como forragem muito apreciada pelo gado.
Descrição - A Casuarina stricta Ait. é uma árvore que atinge cerca de 20 metros de altura, tendo aproximadamente 50cm de diâmetro; casca fendida, rugosa, castanho-escura; ramos pendentes, delicados, verde-escuros, estriados, com folhas dispostas em verticilos, soldadas na base. Flores dispostas em amentos laterais; fruto seco samaroíde, indeiscente, aglomerado na base dos ramos. Importância - Madeireira, ornamental e popularmente medicinal.
Propriedades - A casuarina, que se caracteriza por sua grande flexibilidade, fornece madeira dura, de cerne branco-pardacento, manchado, compacta, resistente, servindo para diversos fins na marcenaria, principalmente no fabrico de obras expostas às intempéries. Por ser uma madeira elástica e que absorve muito bem o verniz, também tem seu emprego na indústria da construção naval.
Na ornamentação de jardins, a casuarina tem ótimos efeitos decorativos, além de se desenvolver rapidamente, chegando a crescer mais de um metro por ano. Como planta ornamental, deve-se preferir o cultivo dos indivíduos masculinos.
O uso na medicina popular se justifica pelas suas propriedades adstringentes - devido ao tanino - que possui a casuarina. Geralmente é consumida na forma do deccoto da casca para combater garganta inflamada e disenteria.
Cultivo - Apesar de se desenvolver melhor nas proximidades de rios e mares, terrenos favorecidos pela umidade, a casuarina adapta-se também a terrenos secos, arenosos, ou pedregosos, montanhosos e áridos. Quando cultivada,responde prontamente a terreno fértil. São árvores muito resistentes às secas.
Fonte: Alex Curi

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

OS AGUAPÊS QUE EXISTEM NOS CANAIS DA CEHAB, CHATUBA E ÁGUA SANTA TÊM ALGUMA IMPORTÂNCIA PARA O MEIO AMBIENTE ?

Foto: Aguapê - fonte : www.ufrrj.br
Com as frequentes poluições dos corpos hídricos em todo o globo, vários estudos tem sido feitos com plantas aquáticas para servirem de despoluentes naturais desses corpos.
No Brasil, alguns projetos se tornaram verdadeiros exemplos pelo uso racional do aguapê como planta multi-uso no combate das agressões humanas pela descarga de efluentes de esgoto "in natura" e também por derramamentos de produtos nocivos ao ambiente.
No Blog Viver Sustentável você encontra a importância do aguapê e o sucesso obtido com o mesmo nos municípios de Alfenas - MG, Bairro de Guadalupe no Rio de Janeiro, Niterói (despoluição do Córrego Jacaré), No Distrito de Lumiar em Nova Friburgo e em Teresópolis (mapeamento de poluentes no rio Paquequer).

OPERAÇÃO TAPA-BURACOS NA BR-356

Prefeitura de São João da Barra Secretaria de Comunicação Social Maurício Barreto 19-09-01 Transportes
Uma parceira entre a prefeitura de São João da Barra e a LLX, empresa responsável pela implantação do porto do Açu, viabilizou a realização de uma operação tapa-buracos na BR-356, ao longo do trecho de 35 km entre a cidade de Campos e a praia de Atafona. A iniciativa tem a autorização do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (DNIT). A primeira etapa da operação teve início no último sábado e resolveu problemas de buracos até as imediações do distrito de Barcelos. A previsão é que os trabalhos sejam concluídos ainda essa semana. Está sendo utilizada massa asfáltica usinada a quente, que oferece uma maior qualidade e durabilidade. Cerca de 40 homens participam da operação, que está sendo coordenada pela secretaria municipal de Transportes de São João da Barra. A Guarda Civil Municipal sanjoanense também participa da operação controlando o trânsito. — O tráfego constante, às fortes chuvas que caíram em nossa região e até mesmo a vida útil do pavimento favorecem o aparecimento de buracos na rodovia. Entramos em entendimento com DNIT, que não possui no momento nenhuma empresa contatada para realizar o serviço, para desenvolver essa operação em parceria com a LLX — explica o secretário de Transportes de São João da Barra, Sérgio Romero. Para a prefeita Carla Machado, é de suma importância dar esta viabilidade à rodovia. “Nosso verão está recebendo um número recorde de turistas devido ao forte trabalho de infra-estrutura e divulgação que fizemos no primeiro mandato. Segurança é uma das vertentes atrativas para o Turismo e estamos fazendo a nossa parte em parceria com a LLX”, ressalta a prefeita.

COMEÇA HOJE O II FESTIVAL DE ESQUETES DE SÃO JOÃO DA BARRA

De 19 a 23, a semana inteira vai ser dedicada ao teatro em São João da Barra, através do II Festival de Esquetes de São João da Barra, no Cine Teatro São João, com pequenas montagens apresentadas de segunda à sexta, sempre às 21h. A entrada é franca e, na ocasião, o público pode conferir a performance de nove grupos teatrais de Macaé, Rio das Ostras, Cabo Frio e Rio de Janeiro.
TEATRO É CULTURA !!!
Vamos comparecer e prestigiar!!!
Veja aqui as companhias que se apresentarão durante a semana e as sinopses das peças.

SÃO JOÃO DA BARRA DEVE TER 100% DE SANEAMENTO BÁSICO

PREFEITURA DE SÃO JOÃO DA BARRA
SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL Márcio Fernandes 16/01/2007 SÃO JOÃO DA BARRA DEVE TER 100% DE SANEAMENTO BÁSICO Técnicos de uma empresa de consultoria que presta serviço ao Governo do Estado do Rio de Janeiro e atende a secretaria de estado do Ambiente estiveram recentemente em São João da Barra, para dar início a um levantamento para implantação de um sistema de saneamento básico em todo o município. De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Marcos Sá, esse levantamento se deve, ainda, devido ao positivo encontro que a prefeita Carla Machado teve com o Ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc. O levantamento, encomendado pelo governo fluminense, tem previsão de ser iniciado até o final de janeiro, e deverá ser concluído em um prazo aproximado de dois meses, segundo o diretor da Conen Consultoria, Ernane Costa. Ele explicou que o primeiro passo é a parte técnica e de conceituação, depois projetos executivos e finalmente a construção. O recurso para o programa de saneamento básico é proveniente do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (Fecam). Os recursos do Fecam são oriundos, dentre outros, de 5% dos royalties do petróleo, atribuídos ao Estado do Rio de Janeiro, bem como do resultado de multas administrativas aplicadas e condenações judiciais por irregularidade constatadas pelos órgãos fiscalizadores do meio ambiente. A prefeita também esteve com a secretária de estado do Ambiente, Marilene Ramos. "Tanto o ministro Minc quanto a secretária Marilene têm demonstrado muita boa vontade com o nosso município", observa Carla.

domingo, 18 de janeiro de 2009

DICAS TURÍSTICAS PARA CONHECER MELHOR SÃO JOÃO DA BARRA

Foto: Paço Municipal de São João da Barra. Fonte: ASCOM/Prefeitura Municipal de São João da Barra. Um local incluído no roteiro.
Prezados leitores deste Blog Verde:
Aqui coloco algumas dicas para se conhecerem, de carro, alguns atrativos do município em um final de semana. Vamos ao desafio!
Sábado de manhã
Saída às 8 horas
-Visitação aos atrativos históricos : Palácio Cultural (antigo grupo escolar), Praça e Igreja São João Batista, Casa da Câmara e Cadeia, Cais do Imperador, Indústria de Bebidas Thoquino, Centro Cultural Narcisa Amália, Canhão Manuelino, Palmeiras Imperiais, Paço Municipal, Prédio do Comendador André Gonçalves da Graça, Cine teatro São João, Igreja e Praça São Benedito, Igreja e Praça da Boa Morte (praça em reforma), Igreja e Praça São Pedro e Estação das Artes (artesanato de tabúas e escamas de peixes). Não deixe de experimentar os sorvetes e picolés feitos pela N.Silva. (Na Praça São João Batista tem sorveterias).
Dica de almoço para o horário de 12 horas : Restaurante Boi Grill - BR 356, na saída da sede da cidade em direção à Atafona. Fogão à lenha. comida caseira. rodízio de pizzas à lenha.
Sábado à tarde
Saída 13 horas do restaurante
- De carro, o visitante pode, depois do almoço no Restaurante Boi Grill, seguir para Atafona, onde passará pelo Bairro da CEHAB (Bairro dos pescadores), Colônia de Pescadores Z-2, Igreja Nossa Senhora da Penha e Mercado de Peixes (Projeto Arte peixe). Dali, o visitante deve seguir pela Av. Atlântica até chegar ao Sesc Mineiro de Grussaí, antes das 14 horas e 30 mim, que é o horário de saída do trem Maria Fumaça em 11 KM de trilhos e muitas estações. Já no percurso de saída de Atafona até Grussaí pela Av. Atlântica, o visitante poderá ver, de passagem, as Dunas, os quiosques de praia, o Espaço da Ciência, o Novo Balneário de Atafona com seu camping público, o complexo esportivo, a casa do disco voador. Dentro do Sesc Mineiro, o visitante, depois de passear de Maria Fumaça, poderá conhecer algumas réplicas de maravilhas mundiais como o Pagode chinês, a casa de chá japonesa, os miranetes mulçumanos, as pirâmides do Egito e a esfinge, obeliscos e a recém-inaugurado Taj Mahal.
Dica de happy hour: No Restaurante II da Maquiné, dentro do SESC Mineiro de Grussaí, o visitante pode beber aquele chopp geladinho, ou suco de pitanga e saborear um cação à dorê, à moda da casa. Procure o garçon José Carlos - Angolano. O visitante poderá ainda, sair à pé do SESC e comprar doces caseiros em uma doceria que fica nos fundos do SESC Mineiro e tem produção própria das frutas utilizadas na fabricação do mesmo.
Sábado à noite
Saída às 19 horas
Passeio na Avenida Liberdade, conhecendo a Igreja de Santo Amaro, onde também o visitante poderá fazer o turismo de compras, junto às feirinhas de verão pelas calçadas e terrenos alugados, com preços convidativos e tomar sorvetes no Lalilus. Após as compras e caminhada no calçadão, o visitante poderá assistir aos shows de verão com atrações em nível nacional na Orla de Grussaí que disponibiliza arena esportiva, palco para shows e praça de alimentação (quiosques e ambulantes). Por volta das 11 horas começa o Forró do Ivanir (fundos do Sesc Mineiro), um dos melhores locias para apreciação de músicas regionais. Ambiente familiar.
Domingo de manhã
Visitação à foz do rio Paraíba do Sul, ruínas do pontal de Atafona, Passeio de Escuna da Pousada Rio Sol, Espaço da Ciência Maria de Lourdes Coelho Anunciação e lagoa de Iquipari e praia de Iquipari.
Dica de Almoço para o horário de 13 horas em Iquipari: Quiosque do Felilto. Cerveja geladinha e tainhotas, pescadinhas, traíras perfeitamente fritas à moda da casa. O visitante pode saborear o caranguejo bem como a castanha de caju local. Depois poderá descansar à sombra das casuarinas do local, podendo colocar uma rede amarrada entre os seus troncos. Há a opção de se fazerem passeios em canoas com os pescadores locais.
Em Iquipari ainda se poderá ver algum show de artista local, no palco rústico montado próximos aos quiosques, além dos visitantes e moradores que levam sanfonas e acordeons.
Domingo à tarde
Saída de Iquipari por volta das 16 horas. Chegada no Novo Balneário de Atafona - local de shows- camping e entretenimentos variados. Parque infantil rústico. Shows de cantores e cantoras em nível nacional.
Domingo à noite
Visitação ao Cine Teatro São João, às 21 horas onde o visitante pode assistir a festivais de esquetes, apresentações teatrais ou exibições de filmes.
Forró da Terceira Idade, no Clube da Terceira Idade. Local familiar com excelente infra-estrutura.
Taí meus amigos, a minha dica de verão para aqueles que tem apenas um final de semana para conhecer a terra natal de Narcisa Amália - a primeira mulher a se destacar na imprensa nacional e com ideologia abolicionista!!!
Sejam bem-vindos!!!

HOJE É DIA DE 14 BIS NO NOVO BALNEÁRIO DE ATAFONA

Românticos de plantão, preparem-se !!! Hoje é dia do 14 Bis se apresentar no Novo Balneário de Atafona. Depois do "alvoroço" das motos de altas ciclindradas e muita poeira lavantada por causa da etapa do Campenonato Estadual de Cross Country que acontece hoje pela manhã, domingo, a galera vai relaxar no cair da tarde com as músicas românticas da banda. Vamos conferir!!!

CURIOSIDADES FOTOGRÁFICAS DO BLOG DE ANDRE PINTO

Na foto: Eloína Gomes Pinto, filha do proprietário deste blog, vê calmamente em cima da pedra do cais de São João da Barra, um casal de bem-te-vi bem serelepe. Foto de Andre Pinto.
Pássaros encantam turistas em São João da Barra
O turista fica encantado com a quantidade de pássaros que aparecem no entardecer na cidade, principalmente na Praça São João Batista, no centro da cidade. Com um belo espetáculo, a revoada das andorinhas para buscarem abrigos nas árvores da praça deixa o tutista com a sua máquina fotográfica cheia de registros.
Não é diferente em Atafona, nas proximidades da foz, quem está nos bares, restaurantes e pousadas à beira rio, também vivenciar a revoada das garças junto às ilhotas do velho Paraíba. Sensacional! Poderá ainda ver Batuíras-de-coleiras ou trinta-réis, ambas migratórias.
Aqueles que gostam de visitar às lagoas para fazerem a conhecida prática esportiva de observação de pássaros (Birdwachting), podem ver o amanhecer nas lagoas de Grussaí/Iquipari /Açu com a presença de pássaros de vários tamanhos e cores muito interessantes e alguns até migratórios.
Assim é São João da Barra - um verdadeiro contato com a natureza - e uma aula ambiental ao vivo e à cores.
Saiba neste blog quais são os pássaros que aparecem em São João da Barra.

PARA QUE VIVAMOS NUM PLANETA MAIS VERDE

Assim é o tema do articulista e membro da Academia Campista de Letras, Alberto R. Fioravanti, no Jornal Monitor Campista de hoje, 18/01/09.
Vale a pena conferir a excelente matéria que fala da criação UICN - União Internacional de Conservação da Natureza, suas atribuições e os últimos passos dados recentemente na Europa para a questão da economia mundial e o aquecimento global. Parabéns pela matéria!
Confira!
Para ver o Jornal com mais calma, clique acesse www.monitorcampista.com.br

sábado, 17 de janeiro de 2009

NOTAS SOBRE A REUNIÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE SÃO JOÃO DA BARRA

Esta semana, 13/01/09, ocorreu a reunião extraordinária do Conselho Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - CMADS - na sala de reuniões da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Serviços Públicos, SEMASP, para discussão de vários temas. Entre esses assuntos: aos alagamentos acontecidos pelas chuvas no território sanjoanense, medidas compensatórias face à implementação do Complexo Portuário do Açu, programa de tratamento de esgoto seco, ICMS Verde (ecológico), reforma do dique São João, reserva ambiental de Grussaí/Iquipari, construção de asfalto no 5º Distrito, problemas na estrada do confisco, patrolamento da estrada do Caetá, criação da Polícia Ambiental Municipal, apresentação do novo mapa de zoneamento do município, dragagem em canais, micro e macro drenagem do município, problemas de alagamentos na Figueira (Grussaí), a grande demanda de pedidos de caminhão limpa-fossa e caminhões de areia para atendimentos emergenciais da população, projetos para a usina de reciclagem de lixo, participação de São João da Barra no consórcio intermunicipal de Quissamã e Carapeubus para destinação de lixo urbano, etc.
Estiveram presentes à reunião: Felício Valiengo (Defesa Civil), José Eduardo Lopes Pereira (Secretaria Mun. de Agricultura), Luiz Ronaldo Lisboa (Proprietário Rural), Eleilton Meireles (Secretário Mun. de Pesca), Getúlio Alvarenga (Sindicato Rural), Adrião Melo Gaiato (Pescador artesanal e funcionário da SEMASP), José Carlos da Silva Miranda (Associação de Moradores da Ilha de Grussaí), Joneclei Gomes de Paula (Secretaria Municipal de Obras), Willian da Silva Pereira (Colônia de Pesca Z-2), Marco Antônio Sá Machado (Presidente do CMADS), Andre Pinto (Secretário do CMADS), Estevão da Silva Gonçalves (Assessor da SEMASP), Bruno Costa (Ong Cocidama) além de outros colaboradores que estavam presentes e participaram com importantes sugestões.
*Por Andre Pinto.

SAIBA MAIS SOBRE A LEPTOSPIROSE - PREVINA-SE

Com as fortes chuvas que estão ocorrendo no país, aumenta o risco da população exposta a enchentes contrair leptospirose. Para evitar situações de maior risco, o Ministério da Saúde preparou uma cartilha "Leptospirose - O que saber e o que fazer" com informações sobre a doença e como se prevenir.
O material está disponível no Portal da Saúde (www.saude.gov.br). Mesmo se tratando de uma doença infecciosa, grave, a leptospirose tem cura desde que diagnosticada e tratada precocemente. Daí a importância de que a população exposta a situações de risco, como enchentes e inundações, saiba como se prevenir.Segue a íntegra da cartilha "Leptospirose - O que saber e o que fazer".
LEPTOSPIROSE
O que saber e o que fazer?
1) O que é leptospirose?
É uma doença infecciosa causada por uma bactéria chamada Leptospira presente na urina do rato.
2) Como se pega a doença?
Em situações de enchentes e inundações, a urina dos ratos, presente em esgotos e bueiros, mistura-se à enxurrada e à lama das enchentes. Qualquer pessoa que tiver contato com a água das chuvas ou lama contaminadas poderá se infectar. A bactéria da urina do rato penetra no corpo humano pela pele, principalmente se houver algum arranhão ou ferimento. Na época de seca, o contato com água ou lama de esgoto, lagoas ou rios contaminados e terrenos baldios com a presença de roedores oferecem riscos à saúde humana. Portanto, evite contato com esses ambientes.
3) Quais os sintomas?
Os sintomas mais comuns são parecidos com os de outras doenças, tais como a gripe. Os sintomas são febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, principalmente nas panturrilhas (batata-da-perna), podendo também ocorrer icterícia (coloração amarelada da pele e da mucosa). Nas formas mais graves da doença, há a necessidade de cuidados especiais, inclusive internação hospitalar.
4) O que fazer ao manifestar esses sintomas?
Se você ficar doente alguns dias após entrar em contato com as águas de enchente ou esgoto, procure, imediatamente, o Centro de Saúde mais próximo. Não se esqueça de relatar ao médico o contato com água ou lama de enchente.Somente o médico é capaz de diagnosticar e tratar corretamente a doença. A leptospirose é uma doença curável, e o diagnóstico e o tratamento o mais rápido possível são a melhor solução.
5) Quanto tempo demora para a doença se manifestar?
Sete dias, em média.
6) Como é feito o tratamento da leptospirose?
O tratamento é baseado em antibióticos, hidratação e suporte clínico, orientado sempre por um médico, de acordo com os sintomas apresentados.
7) Como evitar a doença?
Para não correr riscos, evite o contato com água ou lama de enchentes e impeça que crianças nadem ou brinquem em ambientes supostamente contaminados. Pessoas que trabalham na limpeza de lamas, detritos e desentupimento de esgoto devem usar botas e luvas de borracha ou sacos plásticos duplos amarrados nas mãos e nos pés. Também são necessárias medidas ligadas ao meio ambiente, tais como o controle de roedores, obras de saneamento relacionadas ao abastecimento de água, lixo e esgoto, além de melhoria nas habitações humanas.
8) E se o contato com água contaminada for inevitável, como proceder?
Neste caso, a única forma de reduzir riscos à saúde é permanecer o menor tempo possível em contato com estas águas. Se a enchente inundar as residências, após as águas baixarem, será necessário lavar e desinfetar o chão, paredes, objetos caseiros e roupas atingidas com água sanitária, na proporção de um copo deste produto para um balde de 20 litros de água. Depois, enxágüe o ambiente e objetos com água limpa. Todo o alimento que teve contato com a água contaminada deve ser jogado fora, pois podem estar contaminados e transmitir doenças. Também é importante limpar e desinfetar a caixa d'água com uma solução de água sanitária da seguinte forma:
a)Esvazie e lave a caixa d'água, esfregando bem as paredes e o fundo;
b)Após acabar de limpar, adicionar 1 litro de água sanitária para cada 1.000 litros de água no reservatório;
c)Depois, abra a entrada principal e encha a caixa d'água com água limpa;
d)Após 30 minutos, abra as torneiras por alguns segundos para entrar água na tubulação;
e)Aguarde uma hora e trinta minutos para a desinfecção;
f)Abra novamente as torneiras. A água utilizada nesta última etapa de desinfeção pode servir para a limpeza de chãos e paredes.
9) Por quanto tempo a leptospira sobrevive no meio ambiente?
A leptospira é uma bactéria sensível a desinfetantes comuns e a determinadas condições ambientais. A leptospira pode sobreviver no ambiente até semanas a meses, dependendo das condições que encontrar ( temperatura, umidade, pH do solo, lama ou águas de superfície) Elas são rapidamente mortas por desinfetantes como o hipoclorito de sódio e quando expostas a luz solar direta.Deste modo, pequenas áreas como pisos e áreas internas podem ser limpos e desinfetados com água sanitária mas a desinfecção de grandes áreas naturais como rios, córrego e lagos não é possível.1
10) É possível determinar se ás águas de córrego, lagoa ou represa estão contaminadas por leptospira?
Pode ser que animais infectados, principalmente roedores, tenham acesso a estas águas, contaminado-as regularmente. Desta forma é impossível afirmar que estas águas estejam livres da bactéria. Se coletarmos uma amostra dessa água para análise, o resultado irá representar apenas aquele momento e aquele local. O resultado da análise sendo negativo, não significa que toda a área esteja livre da presença da bactéria. Em caso de dúvida, solicite orientação das autoridades sanitárias locais indagando sobre a ocorrência de casos humanos da doença nesses locais.
11) Se o contato com águas suspeitas já ocorreu, qual o risco da pessoa se contaminar?
Nessa situação, a contaminação da pessoa dependerá de alguns fatores como a concentração de leptospiras na água, tempo de permanência da pessoa em contato com as águas e a possibilidade ou não da penetração da bactéria no corpo humano, etc. Não há o que fazer a não ser aguardar o período de incubação, se a pessoa adoecer, deve procurar o médico o mais breve possível, não esquecendo de relatar a exposição a risco.
12) Quais são as principais medidas para evitar ratos?
- Manter os alimentos armazenados em vasilhames tampados e à prova de roedores;
- Acondicionar o lixo em sacos plásticos em locais elevados do solo, colocando-o para coleta pouco antes do lixeiro passar;
- Caso exista cães no domicílio, retirar e lavar os vasilhames de alimento do animal todos os dias antes do anoitecer, pois ele também pode ser contaminado pela urina do rato;
- Manter limpos e desmatados os terrenos baldios;- Jamais jogar lixo à beira de córregos, pois além de atrair roedores, o lixo dificulta o escoamento das águas, agravando o problema das enchentes;
- Grama e mato devem ser mantidos roçados, para evitar que sirvam de abrigo para o rato;
- Fechar buracos de telhas, paredes e rodapés para evitar o ingresso do rato para dentro de sua casa;
- Manter as caixas d'água, ralos e vasos sanitários fechados com tampas pesadas.Lembre-se: Uma vez instalado num determinado local, o rato começa a se reproduzir, multiplicando-se rapidamente, o que dificulta o controle do roedor, aumentando os riscos de transmitir doenças e de danos à população.
13) Porque o controle de roedores é importante para se diminuir o número de casos de leptospirose?
Porque o rato é o principal transmissor da doença ao homem. É um animal que carrega a leptospira em seus rins e a elimina pela sua urina sem adoecer, contaminando o ambiente - água, solo e alimentos. Nas cidades, a aglomeração humana associada à alta infestação de ratos, principalmente ratazanas, e à grande quantidade de lixo tornam maior o risco de se pegar leptospirose. Controlar a população de ratos é a melhor forma de combater a doença. O controle de roedores deve ser feito o ano inteiro para que se obtenha resultados positivos, como diminuição da população de roedores.
14) Outros animais podem pegar a doença?
Não há risco de transmissão para o homem por estes animais?Outros animais são sensíveis à leptospira e podem se infectar, adoecer e até mesmo morrer de leptospirose. Bois, porcos, cães, cavalos e cabras, dentre outros, podem sofrer a doença e também transmiti-la ao homem, porém em menor escala do que o rato.
15) Se os animais domésticos também podem transmitir a doença, o que fazer para evitar a contaminação por esta forma?
Os animais domésticos assim como os roedores, quando infectados, eliminam a bactéria através da urina; portanto, deve-se tomar especiais cuidados , evitando-se o contato direto ou indireto com suas excretas (principalmente a urina, no caso da leptospirose). Os locais onde os animais permanecem e urinam devem ser higienizados diariamente, utilizando-se luvas e botas para proteção das mãos e pés, evitando-se o contato com áreas expostas da pele ou mucosa com a urina de animais.
16) Quais são os sintomas da leptospirose no cão?
Os cães podem se infectar e eliminar a bactéria pela urina e nem sempre manifestar sintomas da doença. Estes variam desde anorexia, apatia, febre, vômitos, diarréia a hemorragias, icterícia, uremia, podendo evoluir para insuficiência hepática e renal que pode levar o animal à morte. Portanto, se o cão adoecer, deve- se procurar assistência veterinária.
17) Qualquer pessoa pode ter a doença?
Sim, qualquer pessoa, independente de sexo ou idade, pode ter a doença. O que se observa é que a maior freqüência de casos ocorre em indivíduos do sexo masculino, na faixa de 20 a 35 anos, em virtude da maior exposição a situações de risco, quer seja em casa, quer seja no trabalho.
18) Uma pessoa com leptospirose transmite a doença para outra?
Não, a doença não é contagiosa, ela é transmitida entre os animais e do animal para o homem, sempre pelo contato da urina do animal com a pele do homem. Não há transmissão de uma pessoa para outra.
19) Existe o risco da pessoa contrair leptospirose bebendo líquido em latinhas de refrigerantes, sucos, cerveja ou água?
Apesar da transmissão ocorrer principalmente pela penetração da bactéria através da pele ou mucosa íntegra e pele escoriada pela permanência prolongada em água, já foi descrita pela ingestão de água ou alimentos contaminados com a urina de roedores.Se for ingerida, a leptospira morre ao entrar em contato com o suco gástrico. A possibilidade da pessoa se infectar bebendo em latinhas contaminadas com a urina do roedor é possível se houver uma lesão na mucosa bucal que poderia permitir o ingresso da bactéria no organismo via circulação sanguínea e, a partir daí ela se multiplicaria e se instalaria em um órgão do corpo. Existe um risco teórico, de um pessoa contrair leptospirose bebendo em latinhas mas, este risco até o momento não foi comprovado.De qualquer modo, é essencial que se higienize com água limpa qualquer latinha ou recipiente antes de ser levado à boca para não se correr o risco de sermos contaminados por algum tipo de bactéria. Este hábito de higienização não deve isentar os comerciantes de verificarem as condições de armazenamento de seus estoques, de seu lixo e verificar como anda o controle de roedores implantado.
20) Há vacina contra a leptospirose?
No Brasil, não há vacina contra a leptospirose em humanos, somente para animais, tais como cães, bovinos e suínos. Esses animais devem ser vacinados todos os anos para ficarem livres do risco de contrair a doença e diminuir o risco de transmiti-la ao homem.
21) Qual é o papel do Ministério da Saúde no controle da leptospirose?
O Ministério da Saúde, por intermédio da Secretaria de Vigilância em Saúde/SVS, elabora normas e coordena as ações de vigilância e controle da doença desenvolvidas em todo o país pelas secretarias estaduais e municipais de saúde, além de assessorar e supervisionar os gestores nestas ações. A SVS também estuda os dados da doença enviados pelos estados e se mantém vigilante para a ocorrência da leptospirose no país, a qualquer momento. Para desenvolver este papel, a SVS capacita técnicos das secretarias estaduais de saúde para executarem ações de forma mais efetiva. Elabora e distribui material técnico e educativo para facilitar a execução das atividades de prevenção e controle pelos estados.
22) O que os municípios devem fazer para prevenir a doença na população?
Os municípios devem implementar ações integradas com os setores de Obras, Saneamento, Agricultura, Habitação e Educação, de forma a reduzir ou eliminar as condições para a proliferação dos roedores. Além disso, as secretarias estaduais e municipais de saúde são responsáveis pelo atendimento e tratamento de doentes e pela vigilância de casos de leptospirose em humanos, bem como pelo controle de roedores em vias e logradouros públicos e áreas onde a leptospirose ocorre.
23) O que a população deve fazer para ajudar a prevenir a ocorrência da leptospirose?
A população tem a sua parcela de responsabilidade na prevenção da doença. Ela pode e deve procurar manter o ambiente impróprio para a instalação de roedores, conforme já foi citado, e utilizar-se de medidas de proteção individual, quando se expuser a situações de risco. Desta forma, ela se protege dos roedores e reduz riscos de contrair a doença.
24) Onde se obtém mais informações sobre a leptospirose?
Mais informações sobre controle de roedores e prevenção da leptospirose poderão ser obtidas nos Centros de Controle de Zoonoses ou na Secretaria Municipal de Saúde de sua cidade.
Mais informações Assessoria de Imprensa da Secretaria de Vigilância em Saúde Tel: (61) 315-3676/3678 e-mail: imprensa@saude.gov.br