domingo, 22 de março de 2009

FAMÍLIAS SANJOANENSES FAZEM HOMENAGEM AO DUDU

GRANDE HOMENAGEM AO QUERIDO DUDU FOTOS: Família Carvalho da Silva reunida. Hoje , com um espaço vazio...
FOTO: Dudu com sua irmã grávida, na festa de chá de bebê.
FAMÍLIAS SANJOANENSES FAZEM HOMENAGEM AO DUDU
Nunca devemos nos esquecer de que "o futuro não é nem totalmente nosso, nem totalmente não-nosso, para não sermos obrigados a esperá-lo como se estivesse por vir com toda a certeza, nem nos desesperarmos como se não estivesse por vir jamais!"
(Epicuro - trecho da "Carta sobre a felicidade" enviada à Meneceu) Hoje, 22 de março de 2009, completam-se 30 dias do falecimento de CARLOS EDUARDO CARVALHO DA SILVA, carinhosamente conhecido por todos nós, da família e da comunidade sanjoanense, como "Dudu". É um fato que não gostaríamos de colocar neste blog, mas pelo lado da lembrança e de se dar justa homenagem àquele que nos trouxe muitas alegrias e sonhos, temos o dever de manter acesa a chama do amor e da saudade que sempre perdurarão ao querido "Dudu". Um outro fato importante, que deve ser mencionado aqui, é que o "caso Dudu" não pode cair no esquecimento do povo, pelas circunstâncias já apresentadas neste blog.
A nossa família, ainda muito comovida e abalada pela perda irreparável deste filho, irmão ,primo, sobrinho, neto e amigo querido, tem pedido à DEUS muita força espiritual para lidar com a ausência muito sentida e jamais esquecida deste ser humano tão maravilhoso que foi o nosso "Dudu" e agradece desde já, do fundo do coração, a manifestação de diversas pessoas pelas palavras de conforto e alívio espiritual.
Os amigos de "Dudu", inconformados com a perda, vêm oferecendo palavras de conforto à família, nestes amargos 30 dias, numa forma de "suprirem" a ausência desse primogênito querido e amado por todos nós. Mesmo assim, a dor constante da perda nos aperta o coração e nos dá um nó na garganta embargando nossa fala quando mencionamos o nome dele, e, na medida em que vemos apenas as suas fotos estampadas no mural da sala de sua casa - feito por sua irmã Érika - nos dá a sensação de que ele fez uma viagem sem se despedir, deixando apenas o seu último sorriso, registrado numa foto do celular de Érika no mesmo dia de sua partida.
FOTOS: Dudu, que na época servia a Marinha do Brasil (cabelo raspado), segura sua filha Pâmela nos braços. A outra foto (sorriso) foi a última tirada por sua irmã no dia do falecimento dele.
Muitos choram abertamente com a família, outros choram isoladamente, outros ficam com olhos lacrimejantes o tempo todo, outros choram escondidos e outros não conseguiram chorar ainda. Alguns soluçam baixinho, outros têm tosse nervosa, outros escrevem o que sentem, outros se enclausuram de todos, outros não entenderam a gravidade da situação, as crianças perguntam se Dudu morreu mesmo e outros são apenas outros mesmos. Assim vem sendo o dia-a-dia da família, contando cada 24 horas que passam, como se Dudu estivesse partido de um porto, sozinho numa embarcação rumo a outro continente e pudesse, a qualquer momento, mandar notícias... As notícias não mais chegarão. Isso é fato.
FOTOS : Dudu com os avós Dídimo (in memorian) e Vó Iolanda.
A família, submersa em imensa resignação com a perda sofrida, sob o refúgio do silêncio, meditação e forçada medicação, ainda sob os resquícios da síndrome de pânico, pede com carinho a todos os munícipes que possam fazer suas orações em favor da alma de Carlos Eduardo Carvalho da Silva - Dudu, para que nosso onipotente e onipresente Senhor DEUS e nosso sagrado Jesus Cristo, possam dar o encampamento de seus anjos à sua volta e nos dêem o conforto e a esperança de nos encontrarmos novamente com "Dudu" sob o governo do manso,justo e pacífico, que se dará em breve para aqueles que crêem nas sagradas palavras da Bíblia. A família também gostaria de pedir aos munícipes para que orem pela cidade, para que se perpetue em paz e seja iluminada por DEUS para que não haja mais a violência do gênero com outras famílias sanjoanenses, pois a cidade tem vivido crimes bárbaros nos últimos meses. Procuramos acreditar que Dudu está em sono profundo aguardando o chamamento do Pai Celestial, pois temos fé que o túmulo memorial é aquele em que DEUS fará o resgate dos homens bons, de bom coração e de pensamentos perenes. Assim era Dudu e temos conhecimento de que o nosso tempo é diferente do tempo de DEUS, portanto, acreditamos que Dudu já possa estar nos braços do altíssimo, descansando em paz. Infelizmente não há paz para quem ficou no plano terrestre amargurando em sofrimento e é triste e doloroso ouvir por terceiros "Que nada que for feito vai trazer Dudu de volta". DUDU - NOSSO VERDADEIRO MODELO!
Foto: Dudu, bravo guerreiro servindo à patria ! Valor inestimável !!!
Carlos Eduardo Carvalho da Silva, nasceu de família humilde, trabalhadora e sempre foi querido por todos os seus parentes. Dudu não precisava fazer força para agradar. Todos os que o conheciam se tornavam seus amigos.Difícil era alguém não gostar de Dudu. Dizia à sua mãe que queria sair do Rio de Janeiro, uma cidade violenta e queria morar na tranquila cidade de São João da Barra, a que ele chamava de paraíso. Assim, com esse pensamento, veio para cá. Dudu era carismático e as crianças gostavam muito dele. Minhas filhas, as sobrinhas dele, primas e primos, enfim, a criançada fazia a festa com Dudu. FOTO: Duduzinho, já cheio de alegrias para a família! Dudu, apesar de ter sido criado no Rio de Janeiro no período de sua infância e adolescência, tinha presença constante em São João da Barra, principalmente nas férias escolares de início e meio de ano. Quantos não conheceram Dudu na fase da adolescência em São João da Barra? Quantos não foram os amigos feitos por "Dudu" quando estava de férias por aqui? Quantas paquerinhas Dudu não deixou de coração apaixonado quando retornava das férias para o Rio?
FOTO: Dudu na escola, fazendo pose de intelectual.
Quando sua irmã, Érika, veio morar em São João da Barra, tempos depois, Dudu resolveu sair do Rio para encontrar qualidade de vida por aqui também. Mas, infelizmente o resultado não foi o que ele esperava. Todos nós lamentamos profundamente o desfecho das esperanças e sonhos de Dudu, que culminou com sua morte de forma trágica. Mas lembremos, nesta homenagem do blog, do Dudu da energia, felicidade, carinho, dedicação, afeto, amizade,companheirismo, vivacidade, voluntarismo e outras milhares de qualidades que ele se fazia transbordar ao próximo. Leiamos abaixo o pensamento de Marco Aurélio e tiremos nossas conclusões... "Não procedas como se tivesses diante de ti dez mil anos de vida; a morte acotovela-nos. Procura, enquanto vives, servir para alguma coisa que esteja ao alcance das tuas aptidões. Bem depressa serás de novo absorvido por essa força diretora do Universo que te deu a vida." (Marco Aurélio) Dudu - homem de muitas aptidões !!! Esse sim,tinha um porte físico para ser modelo fotográfico ou talvez modelo de passarela mesmo, pois tinha estilo,postura, etiqueta, educação, falava bem, tinha disciplina, pois serviu na Marinha do Brasil por mais de um ano!Coisa pra macho! Não parou por aí. Veja abaixo a ordem de Mérito recebida por Dudu quando estava na Marinha do Brasil.
Dudu estudou 4 anos de ingles na cultura Inglesa, passou no concurso para fuzileiro naval mas acabou desistindo, pois seria transferido para Brasília e sua esposa já estava grávida na época, o que o impossibilitou de exercer o cargo. Se formou em técnico em informática e chegou a cursar Psicologia na Estácio de Sá, sem ter terminado. Fez curso de cabeleireiro, a mesma profissão do pai e tinha a intenção de trabalhar no salão dele ou de seu tio, no Rio, mas identificou que não era muito a sua praia e resolveu mudar de rumo indo trabalhar numa rede de supermercados da zona sul do Rio, na qual trabalhou por 03 anos. Depois trabalhou na Installapos - empresa de instalação de máquinas de cartões de crédito - no Rio e Grande Rio, tendo trabalhado também por 03 anos. Enfrentava as dificuldades da vida! Trabalhava, estudava, brilhava, ralava! Top Model mesmo! Até no dia de sua morte, ele havia chegado de uma jornada árdua de trabalho no Porto do Açu, de sábado para domingo de carnaval, às 7 horas da manhã. Parecia que este emprego do Porto do Açu era o que queria mesmo, pela dedicação que vinha tendo. Dudu era viajado e conheceu todo o Nordeste do país, na companhia de seu grande amigo Francisco Rabello, o qual ele adorava. Dudu, há 02 anos residia em São João da Barra onde tinha residência com sua irmã, tias, tios, primos e sobrinhas que já moravam no local. Para nós, família de "Dudu" e amigos, ele era um verdadeiro modelo! Um modelo único que não se espelhava em outros para se defender ou se esconder das verdades da vida! Dudu -um modelo profissional dos enfrentamentos da vida- se superava a cada instante. Corria atrás, fazia acontecer! Se sustentava, era independente,era adulto! As dificuldades da vida fizeram-no crescer e com 28 anos de idade estava maduro, economicamente ativo, psicologicamente preparado, fisicamente satisfeito, emocionalmente feliz. Os tombos, as levantadas, as derrapadas, escorregões, as desilusões, as vitórias e as perdas só recheavam mais a vontade de viver de Dudu. Queria desafios! Não desistia nunca! Ôh Cara de fibra, cabra valente - no real sentido da palavra - pois a valentia estava na coragem da força da idéia e não na coragem da idéia da força e isso ele sabia distinguir de verdade. Cara inteligente, ousado, ouvia mais do que falava e tinha o tempo certo de retroceder e de avançar - sábio -; tinha sonhos como todos nós - estratégico - ; buscava implementar seus sonhos com simples ações - tático -;
AMADO! MUITO AMADO MESMO! DEIXO MINHA MENSAGEM À DUDU Dudu, comecei esta homenagem com um trecho da "Carta Sobre a Felicidade" de Epicuro, filósofo que nasceu na Ilha grega de Samos em 341 antes de Cristo. Repetindo a frase: "Nunca devemos nos esquecer de que o futuro não é nem totalmente nosso, nem totalmente não-nosso, para não sermos obrigados a esperá-lo como se estivesse por vir com toda a certeza, nem nos desesperarmos como se não estivesse por vir jamais!" Dentro desta filosofia de que o futuro é uma incógnita, você, meu primo/irmão, nesta sua passagem rápida neste plano terrestre, burlando a própria lei da natureza em que os ascendentes tendem a partir para o descanso primeiro que os descendentes, deixou a sua marca aqui na terra! Você fez amigos, deu alegrias, sofreu, chorou, brincou, trabalhou,conheceu outros lugares, pessoas, sonhou constantemente, realizou! Seguiu mesmo o que diz em Eclesiastes, na Bíblia, pois teve tempo para quase tudo! Mesmo com sua partida aos 28 anos, que bela trilha fizeste neste plano terrestre! Muitos te invejam, amigo! Deixou uma linda filha chamada Pâmela, que muito te ama, cara! Deixou uma sementinha mágica muito forte que crescerá e dará frutos maravilhosos! Essa sim, é mais uma das suas maravilhosas contribuições para o renascimento de um mundo melhor!É a sua continuidade neste plano. Temos a certeza que este ato que fizeram com você não conseguirá apagar o lindo sorriso de sua filha, muito pelo contrário, com a ajuda de DEUS, da Angélica (mãe de Pâmela) e com a força dos familiares, todos faremos dela uma pessoa forte como você foi e ela dará muitas alegrias a todos nós! "Filha de peixe - peixinha é!"
Dudu, a verdade é que você tem feito muita falta, meu primo!, ficou um vazio em todos nós. Quando vou à tua casa, depois de tua morte, me dá a impressão de que você está dentro da Kombi - que hoje está colocada à rua com cartaz de vende-se - e lá vejo você, sempre mexendo em alguma coisa e pronto para sair para fazer lotada ou fretes, ou quando entro em tua sala, te procuro deitado naquele sofá pequeno, com as pernas grandes de fora e a almofadinha na cabeça onde descansava da labuta diária vendo TV. Ou te vejo pintando algum cômodo da casa de seus pais, ainda com a lata cheia de tinta no chão. O mais curioso, que me chama muita a atenção, é que na sua partida, a gigantesca árvore amendoeira que tinha na entrada de sua casa também partiu. Não está mais lá. Era a sombra que você gostava para fazer o churrasco amigo e botar a sua rede de descanso, ou até mesmo guardar sua bicicleta. Vi com minha esposa Maysa as suas fotos colocadas no mural e ao mesmo tempo tive a sensação de volta ao passado, como se num filme rápido, visse você bater no meu ombro e me dizer que está tudo bem agora! Maysa, imersa nas fotos, caiu em prantos e eu não tive palavras para acalentá-la. Estava sem voz.
FOTOS: A pequena Pâmela com seus pais. Dudu e Angélica.
Para nós, simples mortais, concordamos em unanimidade, que você partiu muito cedo! Isso nos corrói por dentro. Entreguemos, então, à DEUS esta tarefa de julgamento do ciclo de vida de todos nós aqui neste plano intermediário. Não nos conformemos, no entanto, com sua partida prematura por motivos alheios à vontade de DEUS, pois um dos principais mandamentos dispõe: "Não matarás" e DEUS pede-nos que sejamos sentinelas da justiça e na busca da verdade como bem explícito no livro de provérbios 31; 08 :
"ABRE TUA BOCA EM PROL DO MUDO, NA CAUSA DE TODOS QUE ESTÃO PASSANDO. ABRE A TUA BOCA, JULGA EM JUSTIÇA E PLEITEIA A CAUSA DO ATRIBULADO E DO POBRE" .
Busquemos nas orações, então, a justiça Divina, que nos dá força para caminharmos unidos e repartirmos nossas aflições e angústias. Sabemos que "O futuro à DEUS pertence" e que essa coisa de destino está descartada de vez e não o aceitamos.
Dudu, tu cumpristes integramente e com muita honra o seu papel aqui na terra! Erros, todos nós cometemos neste plano intermediário e se errou em algum momento de sua vida, podes ter certeza de que teve milhões de acertos que abonam sua conduta. Fostes o orgulho de teu pai, tua mãe,tua irmã, tua esposa, tua filha e de teus familiares. Jamais te esqueceremos. Descanse em paz, meu amigão.
E que a justiça aqui na terra também seja feita, sem paixões, vícios, interferências, extrapolações etc, pois todos os lados estão sofrendo com as perdas.
Andre Pinto
"Toda saudade é uma espécie de orfandade. É lembrar-se do jamais esquecido". (A. Sendra - da Academia Campista de Letras)
FOTOS: Dudu com sua filha Pâmela nos braços. A outra foto está Dudu com sua filha e a sobrinha Duda. DEPOIMENTO DE ANGÉLICA DINIZ

Falar do Dudu é muito fácil Homem de caráter Sensibilidade que encanta Inteligência admirável Ótimo filho Ótimo irmão Ótimo marido Perfeito como pai Quem conhece o Dudu sabe Não precisamos nem falar tanto Ele faz falta Ele faz meu mundo Diminuir a cada dia Com sua ausência Porque ele é o meu amor E será pra todo sempre Dudu levou com ele o amor Que tínhamos um pelo outro Seremos eternos um com o outro Sei que você vai me esperar Para continuarmos onde paramos aqui

Eu amo você...

Angélica Diniz

DEPOIMENTO DE ÉRIKA CARVALHO - IRMÃ DO QUERIDO DUDU Meu querido e amado irmão, sua ausência dói de mais. Não é difícil falar do Dudu, porque ele é simplesmente especial, muito especial, tão especial........Um homem de fibra , honesto, inteligente, culto, sem igual............sou muito suspeita para falar, mais é fato. Amigo, irmão, sempre pronto pra ajudar, seu lema sempre foi, ajudar alguém sem olhar a quem. Um coração puro e sem maldades, sempre contente e alegre, na vida não havia dificuldades para ele, ele só encontrava as soluções.Uma enorme vontade de viver, vivia cada dia como se fosse o último. Hoje meu irmão, venho te agradecer, pela pessoa maravilhosa e guerreira que fostes,pelo homem maravilhoso e lindo que és, e só nos deu orgulho, bato no peito e digo meu grande irmão, tenho orgulho de ser sua irmã. Te amarei eternamente, um verdadeiro modelo de ser humano. Amo vc! Erika Carvalho deixou mais um amoroso recado...
È meu querido irmão, estou aqui no trabalho, só deus sabe como, agora voltei do almoço, aos prantos, tudo aqui me faz lembrar vc, me faz ver vc , como se estivesse aqui, sorrindo, com aquele belo sorriso verdadeiro q só vc tem..........cada minuto , parece uma eternidade, esses dias tem sido muito dificil pra mim, essa dor me consome a cada instante, meu coração doi demais, horas de saudade, horas de revolta.........não sei, dificil demais explicar, dificil demais entender, o porque? porque vc? Voce ainda tinha muita coisa pra fazer neste plano........será, q sua missão era essa, passar toda a sua humildade, seu afeto e karinho, e deixar um pedacinho seu aqui, e partir?Me faço tantas perguntas, mais não consigo achar as respostas.Venho mais uma vez lhe dizer, q você me faz muita falta, e que te amarei pra todo o sempre.Um dia desses me disseram que pra eu ter vc sempre perto de mim, todas as vezez q tivesse dúvidas, eu perguntar, o q meu irmao me diria? o q ele faria? e seguir, pois sei q vc , com a brilhante inteligencia q tem, saberia sempre o q era melhor pra mim, e hoje, me pego diversas vezes fazendo isso.Até porque não consigo parar de pensar em vc.Vc tá aqui guardadinho dentro de mimte amo d+, eternamente
sua irmã
Erika
27 de Março de 2009 12:32
DEPOIMENTO DE MÔNICA TERRA - PRIMA DO QUERIDO DUDU
Cunhado, Como diria Maysa (a cantora): "Meu mundo caiu", com esta linda homenagem feita a meu primo que tanto amo. Há exatos 30 dias vivo a base de remédios tentando apagar um pouco dos meus dias, procurando esquecer este acontecimento que marcou e muito nossa familia. Como a mente não deixa, apelo para o tarja preta, já que é impossível não lembrar o sorriso do Dudu. É inacreditável que tal tragédia aconteceu em nossa família, não que não tenha acontecido outras. Sim, aconteceram. A resistência de minha querida avó Landa é surpreendente, apesar dos choros constantes.Ela perdeu seu primeiro filho no Rio de Janeiro, no mês de fevereiro, há 27 anos atrás. O que ela não imaginava é que perderia um neto de apenas 28 anos. Um neto que quando chegava do RJ ía pra sua casa e a tratava com tanto apego, tanto carinho. Que mesmo morando em SJBarra ía vê-la e dar seu beijo. É porque Dudu era assim com todos nós desde criança que o amamos como a um irmão. Disse o pequeno príncipe: " Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas". E Dudu seguiu piamente estas palavras, em apenas 28 anos, fez amigos... muitos amigos. Fez a alegria de sua familia, até mesmo da mais nova geração. Teve uma filha linda, que assim como ele, leva o sorriso no rosto e a simplicidade no coração.Sabe, a PAM, dias atrás, me mostrou a carteira de identidade dela, e com o dedinho apontou para o nome do pai-Carlos Eduardo Carvalho da Silva- e falou: "titia, aqui ele vai ficar pra sempre". Sò 8 anos de idade e uma certeza...Dudu, meu primo querido, me lembrarei de ti sempre como nas duas últimas vezes que nos vimos: no revéillon, quando vc foi a casa de minha mãe nos ver e desejar um feliz ano novo (que não foi feliz nem pra vc e muito menos será pra nós)...Ele fazia isso tds os anos! E no porto do Açú, quando colocastes o teu lindo rosto para fora do ônibus para brincar comigo. Que sorriso!Meu coração dói! Amo você...pra sempre! Mesmo longe de mim. te amo primo! sua eterna prima,
Mônica Terra

3 comentários:

Anônimo disse...

Cunhado,

Como diria Maysa (a cantora): "Meu mundo caiu", com esta linda homenagem feita a meu primo que tanto amo. Há exatos 30 dias vivo a base de remédios tentando apagar um pouco dos meus dias, procurando esquecer este acontecimento que marcou e muito nossa familia. Como a mente não deixa, apelo para o tarja preta, já que é impossível não lembrar o sorriso do Dudu.

É inacreditável que tal tragédia aconteceu em nossa família, não que não tenha acontecido outras. Sim, aconteceram. A resistência de minha querida avó Landa é surpreendente, apesar dos choros constantes.Ela perdeu seu primeiro filho no Rio de Janeiro, no mês de fevereiro, há 27 anos atrás. O que ela não imaginava é que perderia um neto de apenas 28 anos. Um neto que quando chegava do RJ ía pra sua casa e a tratava com tanto apego, tanto carinho. Que mesmo morando em SJBarra ía vê-la e dar seu beijo. É porque Dudu era assim com todos nós desde criança que o amamos como a um irmão.

Disse o pequeno príncipe: " Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas". E Dudu seguiu piamente estas palavras, em apenas 28 anos, fez amigos... muitos amigos. Fez a alegria de sua familia, até mesmo da mais nova geração. Teve uma filha linda, que assim como ele, leva o sorriso no rosto e a simplicidade no coração.
Sabe, a PAM, dias atrás, me mostrou a carteira de identidade dela, e com o dedinho apontou para o nome do pai-Carlos Eduardo Carvalho da Silva- e falou: "titia, aqui ele vai ficar pra sempre". Sò 8 anos de idade e uma certeza...
Dudu, meu primo querido, me lembrarei de ti sempre como nas duas últimas vezes que nos vimos: no revéillon, quando vc foi a casa de minha mãe nos ver e desejar um feliz ano novo (que não foi feliz nem pra vc e muito menos será pra nós)...Ele fazia isso tds os anos! E no porto do Açú, quando colocastes o teu lindo rosto para fora do ônibus para brincar comigo. Que sorriso!
Meu coração dói! Amo você...pra sempre! Mesmo longe de mim.

te amo primo!

sua eterna prima,

Mônica Terra

Erika disse...

È meu querido irmão, estou aqui no trabalho, só deus sabe como, agora voltei do almoço, aos prantos, tudo aqui me faz lembrar vc, me faz ver vc , como se estivesse aqui, sorrindo, com aquele belo sorriso verdadeiro q só vc tem..........cada minuto , parece uma eternidade, esses dias tem sido muito dificil pra mim, essa dor me consome a cada instante, meu coração doi demais, horas de saudade, horas de revolta.........não sei, dificil demais explicar, dificil demais entender, o porque? porque vc? Voce ainda tinha muita coisa pra fazer neste plano........será, q sua missão era essa, passar toda a sua humildade, seu afeto e karinho, e deixar um pedacinho seu aqui, e partir?
Me faço tantas perguntas, mais não consigo achar as respostas.
Venho mais uma vez lhe dizer, q você me faz muita falta, e que te amarei pra todo o sempre.Um dia desses me disseram que pra eu ter vc sempre perto de mim, todas as vezez q tivesse dúvidas, eu perguntar, o q meu irmao me diria? o q ele faria? e seguir, pois sei q vc , com a brilhante inteligencia q tem, saberia sempre o q era melhor pra mim, e hoje, me pego diversas vezes fazendo isso.Até porque não consigo parar de pensar em vc.
Vc tá aqui guardadinho dentro de mim
te amo d+, eternamente

sua irmã

bruno disse...

dudu, trocou o rio de janeiro pelo interior , sonhando em ter mais tranquilidade e qualidade de vida, como eu . amigo meu desde a adolescencia, quase nao mantinhamos mais contato pelo fato de ambos estarem na correria do dia dia para ter uma vida melhor para nos mesmos e para nossos filhos.
fica a saudade e aumenta a vontade de vencer quando me lembro do dudu guerreiro que tentava de tudo , desde de vender vasos de barro ate dirigir kombi para poder se sustentar e talves um dia ter uma estabilidade de vida como sempre sonhamos quando mais novos.acredito que ele estivesse alcançando este objetivo com a paz e sossego que a cidade de sao joao proporciona as pessoas, e nao podemos deixar que algumas frutas podres estraguem esta horta que ainda tem muitos frutos para nascer!!