domingo, 2 de agosto de 2009

PORQUE O BERBIGÃO NÃO É EXPLORADO NO AÇU?

Foto: A lagoa do Açu, 5º Distrito de São João da Barra contém muitos berbigões que podem servir de geração de renda familiar na culinária e no artesanato local. Crédito da foto: João Batista (Fotógrafo da PMSJB). Estive recentemente em Portugal e vi nas prateleiras congeladas dos frigoríficos dos supermecados de lá que o vôngole (Berbigão) é muito vendido para a gastronomia local, principalmente na cidade do Porto. Me espantei com o precinho de 4 Euros por quilo daquelas conchinhas saborosas com aquela carninha dentro! A internet tem um monte de receitas com o vôngole, no entanto vale salientar se as condições do vôngole sanjoanense está em boas condições para o consumo, pois pode causar problemas sérios à saúde se estiver estragado ou se alguém tiver alergia com o vôngole.

Um comentário:

Patricia disse...

Olá! Sou Patrícia e moro em Florianópólis.

Você não precisava ter ido tão longe para ver o berbigao ser comercializado em abundancia. Aqui em Floripa é muito comum as familias de bairros como Costeira e Tapera, por exemplo, terem seus quintais cobertos com uma grossa camada de cascas de berbigão. Isso porque eles catam o berbigão na baia sul, cozinham, descascam e vendem para peixarias, inclusive
as do Mercado Publico, no Centro.
Eu mesma já fui varias vezes catar berbigão, mas eu gosto mesmo é de outro molusco, pouco conhecido, o moçambique. Esse por sua vez, é encontrado nas praias de areia fina e mar grosso, como, por exemplo, Joaquina e Campeche, que é onde eu moro. Também nestas praias encontramos castelas, siris e tatuíras. Espero que um dia você possa conhecê-los também, caso não conheça.
patriciasabino1@gmail.com